terça-feira, 31 de dezembro de 2019

O uso do hidrogénio como combustível aumentará grandemente na próxima década

A década que agora acaba viu a ascendência dos carros elétricos a bateria, mas, há sinais de que, na próxima década, o hidrogénio ganhará viabilidade comercial no transporte, particularmente para veículos pesados, ​comboios porque oferece mais energia do que as pesadas baterias.


Camiao-a-hidrogénio-toyota
Photo Quatrorodas

Cresce a procura para combustível de hidrogênio no Japão, e Austrália



O primeiro projeto “hydrail ” de emissão zero nos EUA será no sul da Califórnia, onde a Autoridade de Transporte do Condado de San Bernardino planeia operar um comboio FLIRT H2 do fornecedor suíço Stadler a partir de 2024 . O primeiro, com dois vagões e um bloco de força no último andar contendo células de combustível e tanques de hidrogénio, funcionará numa linha ferroviária de nove milhas entre San Bernardino e Redlands, num contrato com valor de US $ 23,5 milhões, segundo o SBCTA, com uma opção para comprar mais quatro comboios.

Em Alstom na França já circulam comboios Coradia iLint movidos a hidrogénio e na Alemanha há uma linha ferroviária, com ligação para a França e para o Reino Unido. A China viu as primeiras de células de combustível entrarem em operação em 2015 e o governo cada vez mais promove o uso do hidrogénio. 
O fabricante de camiões Nikola Motor conseguiu fundos e forma parcerias para começar a fornecer camiões de células de combustível a partir de 2021. A Hyundai avança com um plano multimilionário para comercializar carros, camiões e navios a hidrogénio e a Toyota constrói uma frota de camiões a células de combustível que operam no porto de Los Angeles.
Os carros elétricos tornaram-se viáveis ​​porque "os custos da bateria caíram quando a produção aumentou e o mesmo é provável com células de combustível e hidrogénio renovável", diz o pesquisador de transporte Dan Sperling, da Universidade da Califórnia, Davis, professor e membro do Conselho de Recursos Aéreos do estado.
O aumento da pressão, e da procura por veículos com emissão zero provavelmente será o impulso para a revolução das células a combustível de hidrogénio. 


comboio-a-hidrogenio-alemanha
Photo Maistecnologia

Hidrogénio, o combustível do futuro energético limpo e seguro


A proliferação de veículos elétricos, movidos a bateria e a hidrogénio, e o crescimento no mercado da energia limpa são um contraste marcante às políticas atuais dos EUA. Na liderança do presidente Donald Trump, as regras da economia de combustível diminuíram, as diretrizes ambientais sobre a poluição do ar e da água diminuíram, aumentando a perfuração, a mineração e fraturamento doméstico. No entanto, com a cada vez maior preocupação mundial com o custo e os perigos das mudanças climáticas alimentadas pelas emissões de carbono, continuam a ser canalizados biliões de dólares para a criação de alternativas mais limpas e sustentáveis.

Os comboios elétricos são vulgares em todo o mundo, mas exigem linhas de transporte de energia caras ou carris eletrificados para funcionar. Por outro lado, um sistema de célula de combustível que gera eletricidade a bordo do veículo permite que estes circulem nas ferrovias existentes, sem necessidade de investimento adicional em infraestruturas. 



Tecnologia-para-produçao-de-hidrogenio
Photo//Mar Ilheu

A Coreia do Sul quer construir três cidades com energia de hidrogénio até 2022


A tecnologia do hidrogénio existe há décadas, e é usada nas naves espaciais da NASA, mas os materiais dispendiosos, incluindo metais preciosos nas membranas das células de combustível, tanques de combustível construídos em fibra de carbono, além de problemas de durabilidade a longo prazo, têm limitado a sua utilização nos transportes. Além disso, a produção industrial de hidrogénio a partir de gás natural, com subprodutos de emissão de carbono, prejudica seu apelo como combustível verde. Mas a pesquisa e o desenvolvimento da última década diminuíram os custos, com alternativas sintéticas substituindo metais como platina nas células de combustível, enquanto a durabilidade e o desempenho em calor e frio extremos continuam a melhorar.

De 2000 até o final de 2019, apenas foram instalados mundialmente, 252 megawatts de produção verde de hidrogénio, de acordo com uma estimativa do pesquisador da indústria Wood MacKenzie. Mas isso está prestes a mudar. "Até 2025, 3.205 MW adicionais dedicados à produção de hidrogénio verde serão implantados globalmente, um aumento de 1.272%", afirmou ele num relatório recente.
O acesso à energia solar barata no sul da Califórnia é fundamental para os planos de camiões a hidrogénio da Nikola. A startup sediada em Phoenix, trabalhando com a Nel, pretende construir e operar uma rede de postos de abastecimento de hidrogénio adjacentes à rodovia que também estão próximos de seus utilizadores.
A Nikola pretende construir 25 camiões no próximo ano e 400 em 2021. Se tudo der certo, até 2022 a empresa prevê produzir oito toneladas de hidrogénio verde diariamente usando eletricidade de fonte renovável em cada posto de combustível, o suficiente para manter 250 camiões a circular.


Photo Mar Ilheu

Toyota quer transformar ar em combustivel


Embora projetos de curto prazo, como a linha suburbana de Redlands e comboios regionais de passageiros que usam os modelos da Alstom na Europa, sejam viáveis, o hidrogénio não está ainda pronto para ser instalado no transporte ferroviário de carga mais pesado e de longa distancia, segundo pesquisadores do Departamento de Energia dos EUA.
"As locomotivas de carga para o transporte de longa distância são as que mais desafios técnicos colocam, mas têm o maior valor social, pois a passagem do diesel como combustível, para hidrogénio aumentaria significativamente as economias de escala e reduziria o custo do combustível", de acordo com um relatório recente da Departamento de Energia e Administração Ferroviária Federal preparada pelos Laboratórios Nacionais Sandia.

Os desenvolvimentos críticos futuros necessários para avançar a tecnologia incluem sistemas de células de combustível de maior eficiência, aproveitando os custos e construção em módulos, conjuntos de elétrodos de membrana de maior durabilidade usando materiais avançados, controles mais rigorosos do sistema e condições operacionais otimizadas, e a capacidade de fornecer hidrogénio para as locomotivas a um custo competitivo. ”

Autocarro a hidrogénio de fabrico Português promete conquistar a Europa





Sem comentários:

Enviar um comentário