quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Holanda constrói 'ilhas solares' para combater o aumento do nível do mar


O famoso poema "Nenhum homem é uma ilha", que significa que ninguém é completamente auto-suficiente, ressoou na sociedade ocidental desde o século XVII. Mas e se for uma ilha composta de painéis solares?

 Está sendo desenvolvido na Holanda, o maior projeto de uma ilha de painéis solares até o momento.  O projeto consiste em construir 15 ilhas solares flutuantes no reservatório de Andijk, no norte da Holanda, contendo 73.500 painéis, sendo as primeiras ilhas de captação solar com estas dimensões no mundo.


Ilha solar flutuante no Japão
Photo Innerself

Central solar no Quênia fornece água potável dessalinizada a 35.000 pessoas por dia


Arnoud Vandruten, diretor da Floating Solar, fornecedora de painéis solares do projeto, diz que as ilhas estão em fase de construção. Não é por acaso que essa adaptação nasceu na Holanda, pois as pessoas já vivem abaixo do nível do mar.
"Existem duas maneiras de combater o aumento do nível do mar na Holanda, ou construímos diques ainda mais altos ou vivemos na água", diz Vandruten. “Essa é a razão pela qual mudamos o conceito de colocar painéis solares nos telhados e terra na água. Nós nos adaptamos deslocando a fonte de energia da terra para a água, aproveitando o aumento do nível do mar. Também podemos experimentar deslocar bairros completos para a água, mantendo a energia positiva ou pelo menos neutra. ”

Como os painéis de rastreamento solar estão sempre alinhados com o sol, eles são capazes de absorver mais energia. Além disso, estar na água fornece dinâmicas úteis que não são possíveis em terra.
"É preciso flexibilizar o sistema para que ele possa se adaptar à energia das ondas e, ao mesmo tempo, os painéis podem funcionar como velas", diz Vandruten. "Podemos transformar a ilha usando o sol, a outra vantagem é que podemos colocar uma ilha numa posição que não seja prejudicada pelo vento."
 O Japão, a China, o Chile e o Reino Unido, também estão a construir Ilhas de painéis solares. Ramez Naam, copresidente de energia e meio ambiente da Singularity University, diz que, em última análise, a redução de custos e a escassez de terra ou água são os fatores que impulsionarão a tendência para ilhas de painéis solares flutuantes e  os governos estão mais dispostos a investir neste setor.


 Onde a terra escasseia como no Japão, a energia solar em reservatórios é uma ótima maneira de implantá-la numa área que de outra forma não poderia ser usada”, explica Naam. “Quando a água arrefece, os painéis solares aumentam sua eficiência e, na verdade, produzem mais eletricidade. Além disso, a energia solar sobre a água pode reduzir as perdas por evaporação desses reservatórios, lagoas, canais e rios. ”
"Nas zonas com mais sol do mundo, a energia solar agora é simplesmente mais barata que a eletricidade a carvão ou a gás", diz ele. "Em alguns lugares, construir novas centrais solares é mais barato ou está prestes a ser mais barato do que continuar operando nos sistemas existentes que usam carvão e gás. "

Heliogen, apoiada por Bill Gates, pretende utilizar energia solar térmica



Referencia//Weforum



Sem comentários:

Enviar um comentário