quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Descoberta a origem da "jangada de pedra-pomes" no Oceano Pacifico


Foi descoberta a origem da enorme massa de pedra-pomes que apareceu no início de Agosto no Oceano Pacifico. A "jangada de pedra-pomes", como foi na altura apelidada, tinha uma extensão de mais de 150 km2. Nessa altura foi criada muita especulação sobre a origem provável do acontecimento.
A causa dessa gigantesca “jangada de pedra-pomes”, foi agora revelado num estudo publicado no Journal of Volcanology and Geothermal Research.



Jangada de pedra-pomes
Photo //Theepochtimes

Essa enorme massa de rocha vulcânica flutuante foi produzida pela erupção de um vulcão subaquático a 50 quilómetros da costa da ilha tonganesa de Vava'u. Esse local corresponde a onde a jangada foi vista em imagens de satélite em agosto.
Foram imagens de satélite que ajudaram uma equipa internacional de geólogos a identificar a fonte dessa grande concentração de pedra-pomes, que eles detalharam no documento de estudo intitulado “A erupção de 6 a 8 de agosto de 2019 do 'Vulcão F' no Arco de Tofua, Tonga”.
O vulcão anteriormente sem nome agora foi nomeado vulcão F pelos cientistas.
A equipa também recolheu dados de estações de monitorização sísmica, que medem movimentos na crosta terrestre, já que a atividade vulcânica geralmente é acompanhada por atividade sísmica.
Apenas duas estações registaram os sinais sísmicos de uma erupção vulcânica. No entanto, seus dados indicam o Vulcão F como a origem.





A pedra-pomes é uma pedra altamente porosa e de baixa densidade chamada polimento, criada durante erupções vulcânicas, quando rochas derretidas e extremamente quentes são expelidas de um vulcão e, em seguida, são rapidamente arrefecidas e despressurizadas.
A lava captura bolhas de gás vulcânico enquanto arrefece, e como a pedra-pomes tem uma densidade mais baixa que a água, flutua.
Atualmente a “jangada” flutua em direção à costa nordeste da Austrália, onde vive a Grande Barreira de Corais, sendo provável que a jangada semeie o recife com nova vida, captada no período desde a sua existência.



Grande barreira de coral
Photo//Piaxabay/steinchen

Costa do Atlântica dos EUA ameaçada pelo aumento do nível do mar


Com base em acontecimentos anteriores de “jangada de pedra-pomes” que estudamos nos últimos 20 anos, ele trará novos corais saudáveis ​​e outros habitantes de recifes para a Grande Barreira de Corais", disse o geólogo Scott Bryan, da Universidade de Tecnologia de Queensland, em agosto. .
 A massa de pedra-pomes resultante da erupção deste ano do vulcão F deve chegar à Grande Barreira de Corais no final de janeiro e no início de fevereiro.
Devido à sua natureza ativa e aparente importância para a ecologia marinha, o Vulcão F merece mais atenção científica, afirmam pesquisadores, na esperança de recolher algumas amostras fascinantes para estudar a geoquímica da pedra-pomes à medida que a jangada chega ao seu destino.

Reefrencia//SputnikNews

Sem comentários:

Publicar um comentário