quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

Encontrada explicação para o ano de escuridão


No ano 536, um fenómeno estranho aconteceu, provocando o escurecimento do céu causando uma onda de frio, fome e tumultos
Durante todo este tempo não se sabia ao certo a causa deste acontecimento, mas agora alguns cientistas encontraram a explicação para o fenómeno.


Terra na escuridão
Photo Pixabay//LoboStudioHamburg

Factos incríveis e misteriosos do planeta Terra


Em algumas partes da Europa e da Ásia, o Sol brilhava apenas quatro horas por dia e não iluminava mais do que a Lua, sendo então esses fenómenos estranhos associados o fim do mundo, conta Dallas Abbott, investigador de impactos paleoclimáticos e extraterrestres no Observatório Lamont-Doherty da Columbia University, nos Estados Unidos.
Apesar da vida na Terra não ter acabado, a este período de intensa escuridão, seguiu-se um outro período, de agitação, onde as plantas não conseguiam crescer normalmente. Este conturbado período durou desde o ano 536 até 555. As evidências sugeriam uma grande redução da luz solar, mas os cientistas nunca souberam o motivo.


Terra na escuridão
Photo Pixabay//ebpilgrim


A razão da Terra possuir uma atmosfera



Na semana passada, na reunião anual da American Geophysical Union, Dallas Abbott e John Barron, do U.S. Geological Survey, também nos EUA, apresentaram uma explicação para este misterioso evento. Os cientistas analisaram um núcleo de gelo na Gronelândia e concluíram que erupções subaquáticas projetaram sedimentos e microrganismos marinhos para a atmosfera, reduzindo a luz do Sol.
A partir de um núcleo de gelo chamado GISP2, os cientistas analisaram as varias camadas de gelo datadas entre 532 e 542, mediram a química da água de fusão e extraíram fósseis microscópicos para estudá-las ao microscópio.
Verificaram que as camadas do núcleo de gelo continham 91 fósseis de espécies microscópicas que teriam vivido em águas quentes e tropicais. “Encontramos microfósseis de latitudes baixas que nunca ninguém havia encontrado num núcleo de gelo.”

Mas como apareceram estas espécies, de zonas tropicais, numa camada de gelo na Gronelândia?
A equipa suspeita que tenham sido atirados para a atmosfera por erupções vulcânicas subaquáticas perto do Equador. Em vez de emitir grandes quantidades de enxofre, as erupções subaquáticas teriam vaporizado a água do mar, aumentando o vapor e transportando sedimentos carregados de cálcio e criaturas microscópicas do mar para a atmosfera.
De acordo com os cientistas, as erupções vulcânicas equatoriais, em particular, podem afetar o globo inteiro. Uma vez na atmosfera, os sedimentos e os microrganismos refletiram a luz solar impedindo que esta chegasse á superfície.
Por serem tão difíceis de detetar nos registos de sedimentos, nunca haviam sido identificados até hoje.


Como a vida sobreviveu à Era do Gelo



Fonte//EuropaPress




Sem comentários:

Enviar um comentário