terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Como a vida sobreviveu à Era do Gelo

A vida enfrentou muitos desafios ao longo da sua existência na Terra. Muitas vezes, quando parecia que ia terminar, reapareceu e desenvolveu-se de forma surpreendente.
 Agora, os investigadores finalmente descobriram como os seres vivos sobreviveram a um período gelado conhecido como Período Criogeniano.


Snowball Earth” (Terra bola de neve)
Photo BBC

Factos incríveis e misteriosos do planeta Terra



Este período, existiu entre 720 a 635 milhões de anos, podemos pensar que com os oceanos cobertos de gelo não haveria abastecimento de oxigénio á agua, e por isso haveria imensas dificuldades para a existência de vida, mas evidências fósseis indicam que nao era assim
A vida sobreviveu e depois floresceu quando a terra viveu esse período conhecido como “Snowball Earth” (Terra bola de neve). De acordo com a nova pesquisa, isso foi possível porque a água derretida das geleiras criava bolsas de oxigénio nos oceanos. Nesses oásis, a vida quimossintética poderia esperar o fim da era do gelo e continuar a prosperar.

"As evidências sugerem que, embora a maior parte dos oceanos durante o período gelado fosse teria sido inabitável devido á falta de oxigénio, nas zonas onde gelo despende-se de terra e flutua houve um fornecimento da água oxigenada proveniente do degelo," explicou sedimentologista Maxwell Lechte da Universidade McGill no Canadá.
"Essa tendência pode ser explicada pelo que chamamos de 'bomba glacial de oxigénio'; as bolhas de ar presas no gelo glacial são libertadas na água enquanto ela derrete, enriquecendo-a com oxigénio".


Embora o registo fóssil daquela época seja muito, muito escasso, existem traços geológicos das condições na Terra na época. Os sedimentos depositados no fundo do mar, especificamente os ricos em ferro, permitiram a Lechte e sua equipe reconstruir os níveis de oxigenação.
Anteriormente, supunha-se que a vida se tivesse mantido em poças de água do gelo derretido na superfície, mas o que a equipe encontrou sugere outro caminho.
Eles estudaram formações de ferro em três continentes, a Formação Chuos na Namíbia, o Subgrupo Yudnamutana na Austrália e a Formação do Pico Kingston nos EUA.
No geral, as razões de isótopos de ferro e anomalias de cério de ambientes de glacio marina revelam que as águas eram em sua maioria extremamente pobres em oxigénio, mas perto da linha de costa os depósitos mais oxidados aumentam.



Snowball Earth” (Terra bola de neve)
Photo Newscientist

A razão da Terra possuir uma atmosfera


Qualquer forma de vida que vivesse naquelas águas também precisaria de comida para prosperar. O ferro pode ser uma pista para isso.
Sabemos que a água do mar era rica em ferro dissolvido. E sabemos que hoje existem bactérias quimiotróficas que retiram a sua energia da oxidação do ferro dissolvido, eliminando os óxidos de ferro.
Portanto, os depósitos oxidados nas linhas de costa da plataforma de gelo poderiam ter sido causados ​​por bactérias marinhas oxidantes de ferro, que prosperaram na água oxigenada.

Não há provas concretas de que isso tenha ocorrido, é claro, mas é uma teoria credível que se ajusta às evidências disponíveis.
"O estudo não apenas fornece uma explicação de como os primeiros animais sobreviveram à glaciação global, mas também eloquentemente explica o retorno de depósitos de ferro no registo geológico após uma ausência de mais de mil milhões de anos", disse o cientista da Terra Galen Halverson, da  Universidadda de McGill.

Fonte//Pnas


Sem comentários:

Enviar um comentário