sábado, 21 de dezembro de 2019

A primeira central nuclear flutuante do mundo foi ligada na Russia


A central nuclear flutuante “Akademik Lomonosov” foi ligada à rede elétrica, gerando eletricidade pela primeira vez na rede de Chaun-Bilibino em Pevek, Chukotka, Extremo Oriente da Rússia
Isso aconteceu depois da Russia ter emitido uma licença de operação, bem como a permissão para ligar-se à rede elétrica norte mantida pelo Chukotenergo JSC.
Os moradores de Pevek marcaram esse dia simbólico acendendo as luzes da árvore de Natal da cidade.


Photo rosatom

Cientistas afirmam que só há uma saida: Energia Nuclear


O diretor-geral da Rosatom, Alexey Likhachev, disse: “Após a sua ligação á rede, a central “Akademik Lomonosov”  torna-se a primeira central nuclear do mundo baseada na tecnologia da classe SMR a gerar eletricidade. Este é um marco notável para a indústria de energia nuclear russa e mundial. Este também é um passo importante no estabelecimento de Pevek como a nova capital energética da região ”.
O projeto foi recebido por cientistas, especialistas em energia nuclear e ambientalistas em todo o mundo. Kirsty Gogan, chefe de energia para a humanidade, uma ONG (Londres), disse: “Para regiões de difícil acesso, com um clima que é ao mesmo tempo severo demais para apoiar o uso de energias renováveis ​​e muito frágil para continuar sua forte dependência de combustíveis fósseis, pequenas centrais nucleares, incluindo usinas flutuantes, é a única resposta. E a “Akademik Lomonosov” é o primeiro passo para demonstrar seu potencial de descarbonização do Ártico ”.


Photo rosatom

Novo reator nuclear elimina resíduos radioativos


A ligação dos geradores da central à rede foi realizada após a sincronização dos parâmetros com a rede costeira. Isso aconteceu após a construção concluída das instalações onshore, garantindo a transferência de eletricidade da central para as redes de alta tensão de Chukotka. Foi preciso muito trabalho na construção das redes de calor. A conexão do FNPP às redes de calor de Pevek será concluída em 2020.
Quando o FNPP iniciar as operações comerciais, será a 11ª central nuclear da Rússia. Também marcará a primeira vez na história da energia nuclear da Rússia em que duas centrais nucleares (a Akademik Lomonosov FNPP e a Bilibino NPP) operam na mesma região.

Bill Gates exige energia nuclear


A energia nuclear pode travar o aquecimento global



Referência//Rosatom




Sem comentários:

Enviar um comentário