sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Novos revestimentos em próteses vasculares poderão reduzir o risco de ataques cardíacos


Cientistas da Universidade Federal da Sibéria testaram a compatibilidade com células sanguíneas humanas e animais de quatro bio polímeros. Os autores do estudo afirmam que esses compostos têm grande potencial para aplicação em medicina.



Photo / Tom Gannam

A menina de 13 anos que criou marca de óleo de cannabis para ajudar pessoas doentes


Por exemplo, no futuro, é possível reduzir significativamente o número de complicações pós-operatórias em cirurgia cardiovascular através do uso de bio polímeros como revestimento para endo-próteses vasculares (stents). Os resultados do estudo foram publicados na revista International Journal of Biological Macromolecules .
De acordo com Anna Shumilova, professora assistente do Departamento de Biotecnologia da Universidade Federal da Sibéria, o número de casos de aterosclerose está crescendo em todo o mundo, com o maior risco da doença em homens de 40 a 60 anos de idade.
Uma opção de tratamento é o stent nos vasos cardíacos coronários. Um tubo de suporte especial é inserido nos vasos afetados, que quando expandido amplia o lúmen do vaso e melhora a circulação sanguínea. Infelizmente, às vezes ocorrem complicações pós-operatórias, devido a reações alérgicas aos materiais dos quais os stents são feitos.

O corpo pode rejeitar esses stents e reagir com o crescimento excessivo dos implantes com uma massa celular, o que pode comprometer a vida do paciente. Além disso, sempre que um corpo estranho é introduzido no organismo, as plaquetas entram na zona de penetração e se juntam para formar coágulos sanguíneos, que podem desencadear um derrame ou ataque cardíaco.
Para evitar complicações pós-operatórias, são necessários stents com revestimento hipo alérgico. Por exemplo, um filme de polímero composto de poli-hidroxialcanoatos (PHA).

Vacina contra o câncer de mama pode estar para breve


Anteriormente, os investigadores do Instituto de Biofísica SB RAS Krasnoyarsk, juntamente com especialistas do Centro Shumakov para a Transplantologia de Órgãos Artificiais, já haviam investigado as propriedades e a interação do PHA ao entrar em contato com células sanguíneas in vitro. Recentemente, os cientistas da SFU realizaram um "teste de compatibilidade" para quatro tipos de bio polímeros, com diferentes composições químicas. Dois eram rígidos e altamente cristalinos, enquanto os outros dois tinham propriedades elastoméricas (semelhantes a borracha).
Como Anna Shumilova disse, "os polímeros para as experiências foram obtidos no Laboratório de Biotecnologia para Novos Biomateriais da Universidade Federal da Sibéria".

Os filmes de polímero foram colocados em bandejas estéreis especiais com células sanguíneas. Durante a experiência, os glóbulos vermelhos não explodiram ou deformaram-se. As plaquetas e os monócitos comportavam-se como se estivessem na corrente sanguínea de um organismo saudável, e os macrófagos mostravam comportamento normal na superfície dos filmes ”, acrescentou Shumilova.
Segundo Shumilova, "o estudo mostrou que o bio polímero" (invólucro , que torna o stent coronário de metal invisível para o sistema imunológico humano), ajudará a reduzir significativamente o número de complicações pós-operatórias em cirurgias cardiovasculares ".

“Doença dos cervos Zombies” pode se transmitir aos seres humanos



Fonte//SputnikNews


Sem comentários:

Enviar um comentário