sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Cientistas aterrorizados com o aumento do nível dos oceanos


O nível do mar subiu 10 metros acima dos níveis atuais durante o último período quente da Terra, 125.000 anos atrás, de acordo com uma nova pesquisa que nos dá uma perspetiva do que pode acontecer se nada mudar.
O artigo publicado na Nature Communications, mostra que o derretimento do gelo da Antártida foi o principal motor do aumento do nível do mar no último período interglacial, que durou cerca de 10.000 anos.
O aumento do nível do mar é um dos maiores desafios para a humanidade colocados pelas mudanças climáticas.


aumento do nivel do mar
Photo Euronews

Costa do Atlântica dos EUA ameaçada pelo aumento do nível do mar



Esta pesquisa mostra que a Antártica, há muito considerada o "gigante adormecido" da subida do nível do mar, é realmente um fator muito importante. As camadas de gelo podem mudar rapidamente e podem ter implicações enormes para as comunidades costeiras e a infraestruturas num futuro próximo.

Um aviso do passado

Os ciclos da Terra alternam em períodos glaciais frios, ou eras glaciais, quando grande parte do globo terreste são cobertas por grandes mantos de gelo e períodos interglaciais mais quentes quando o degelo do gelo e o nível do mar aumentam.
A Terra está atualmente em um período interglacial que começou há cerca de 10.000 anos. Mas as emissões de gases de efeito estufa nos últimos 200 anos causaram mudanças climáticas mais rápidas e mais extremas do que as existentes durante o último período interglacial.
Isso significa que o passado do aumento do nível do mar fornecem apenas previsões, por baixo, do que pode acontecer no futuro.
Examinamos dados do último interglacial, que ocorreu de 125.000 a 118.000 anos atrás. As temperaturas foram até 1 mais altas do que hoje, semelhantes às previstas para o futuro próximo.
A pesquisa revela que o derretimento do gelo no último período interglacial fez com que os mares subissem cerca de 10 metros acima do nível atual. O gelo derreteu primeiro na Antártica, depois alguns milhares de anos depois na Groenlândia.
O nível do mar subiu até 3 metros por século, excedendo em muito o aumento de aproximadamente 0,3 metro observado nos últimos 150 anos.
A perda precoce de gelo na Antártica ocorreu quando o Oceano Antártico aqueceu no início do período interglacial. Essa água derretida mudou a forma como os oceanos da Terra circulavam, o que causou aquecimento na região polar norte e provocou o derretimento do gelo na Gronelândia.


antartica
Photo The conversation

Porque o mar sobe mais nuns sítios que noutros

Compreendendo os dados

Estima-se que o nível médio global do mar suba mais de 3 milímetros por ano. Prevê-se que essa taxa aumente e o aumento total do nível do mar em 2100 (em relação a 2000) atinja 70ª 100 centímetros, dependendo do caminho que tomar-mos em relação ás emissões de gases de efeito estufa.
Tais projeções geralmente dependem de registos coletados neste século a partir de medidores de maré e, desde os anos 90, a partir de dados de satélite.
Quando o gelo chega ao oceano, ele torna-se numa plataforma de gelo flutuante que termina num penhasco. Quando essas falésias ficam muito grandes, tornam-se instáveis ​​e podem entrar em colapso rapidamente.
Esse colapso aumenta a descarga de gelo terrestre no oceano. O resultado final é o aumento global do nível do mar. Alguns modelos tentaram incluir instabilidade dos penhascos de gelo, mas os resultados são controversos.
Os resultados desses modelos prevêem, no entanto, taxas de aumento do nível do mar que são intrigantemente semelhantes aos nossos últimos dados interglaciais recentemente observados.
O trabalho examina registos da mudança total do nível do mar, que por definição inclui todos os processos naturais relevantes.
Examinamos as alterações químicas nas conchas fósseis de plâncton nos sedimentos marinhos do Mar Vermelho, que se relacionam de maneira confiável às mudanças no nível do mar. Juntamente com as evidências da entrada de água de derretimento na Antártida e na Gronelândia, este registo revela a rapidez com que o nível do mar subiu e distingue entre diferentes contribuições das camadas de gelo.



aumento do nivel do mar
Photo: iStock by Getty Images

Subida do nível do mar deixa em risco lugares considerados Património Mundial

Olhando para o futuro

O que chama a atenção no último registo interglacial é o nível e a rapidez com que o nível do mar subiu acima dos níveis atuais. As temperaturas durante o último período interglacial foram semelhantes às previstas para o futuro próximo, o que significa que o derretimento dos lençóis polares provavelmente afetará os níveis futuros do mar de maneira muito mais dramática do que o previsto até o momento.
O último interglacial não é um cenário perfeito para o futuro. A radiação solar recebida foi maior do que hoje devido a diferenças na posição da Terra em relação ao Sol.
Os níveis de dióxido de carbono foram de apenas 280 partes por milhão, em comparação com mais de 410 partes por milhão de hoje.
Fundamentalmente, o aquecimento entre os dois polos no último interglacial não ocorreu simultaneamente. Mas, as mudanças climáticas de hoje provocadas pelos gases de efeito estufa, o aquecimento e a perda de gelo estão acontecendo nas duas regiões ao mesmo tempo.
Isso significa que, se a mudança climática continuar no ritmo atual, o dramático aumento do nível do mar no passado da Terra poderá ser uma pequena amostra do que está por vir.




Referencia//The Conversation


1 comentário:

  1. Derretimento do gelo antártico é ótimo.
    Nos últimos 5 anos as geleiras da Antártida só aumentaram de tamanho.
    Mais uma notícia para criar caos neste mundo já caótico

    ResponderEliminar