domingo, 3 de novembro de 2019

A IA poderá acabar com a Humanidade


Algumas das maiores mentes do planeta, como o físico teórico Stephen Hawking ou o empresário e CEO da Teslas Elon Musk, já mostraram-se preocupados com à Inteligência Artifical (IA), considerando que os avanços neste campo podem ameaçar os seres humanos e pôr mesmo em risco a Humanidade.
No entanto, noticia a emissora britânica BBC citando um novo livro sobre o tema, os humanos não devem temer uma revolta, de robôs auto conscientes, contra os próprios humanos.


IA
Photo BBC

O Papa diz que a IA pode conduzir a humanidade à "barbárie"



O grande problema, sustenta a publicação, reside antes no facto de as máquinas se tornarem tão boas a alcançar os objetivos estabelecidos pelos humanos, sejam estas ordens certas ou erradas.
Na prática, o livro sustenta que os robôs poderão acabar a Humanidade por acidente. Não se tratará de uma revolta espontânea contra os “criadores”, mas antes de um erro.
Stuart Russell, professor da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, é o autor do livro que se intitula “Compatibilidade Humana: Inteligência Artificial e o Problema de Controlo”, que relata os mecanismos de aprendizagem das máquinas.
Nos filmes de Hollywood a máquina espontaneamente torna-se consciente, decide que odeia os seres humanos e quer matá-los a todos”, explicou.

Explica o autor que os robôs não terão sentimentos e, por isso, o cenário acima citado está “errado”. “Não há realmente [nas máquinas) uma consciência má. Há sim  uma competência com a qual temos de nos preocupar, a competência para atingir um objetivo que nós especificamos de forma errada“.
A máquina executará a tarefa sem fazer qualquer julgamento moral sobre as suas ações, uma vez que não tem consciência, visando apenas atingir o objetivo final.
Segundo Russell, é aqui que está o problema que poderá vir a condenar a Humanidade, e deu um exemplo para clarificar a situação. O Homem tem um poderoso sistema de IA capaz de controlar o clima do planeta e quer usá-lo para diminuir os níveis de dióxido de carbono na atmosfera para os valores pré-industriais.
O sistema descobre que a forma mais fácil de o fazer é ao livrar-se de todos os seres humanos, porque estes estão a produzir grandes quantidades de dióxido de carbono”.
Um caso para  pensar:

Primeiro cybercrime com recurso á Inteligência Artificial


Mais da metade dos empregos de hoje serão robotizados até 2025



Robots com IA ameaçam "substituir a intimidade humana"



Fonte//BBC



Sem comentários:

Enviar um comentário