sexta-feira, 15 de novembro de 2019

A automatização pode acabar com 800 milhões de empregos até 2035


De acordo com uma análise do Bank of America Merrill Lynch revelou que cerca de 800 milhões de empregos podem desaparecer em todo o mundo até 2035.
Esse resultado deve-se à diminuição do custo de automatização.
Houve uma redução de 27% no custo de automatização entre 2005 e 2014, algo que prevêem diminuir mais 22% até 2025.


Photo Indiatoday

Robots dançarinos animam noites de boate francesa


De acordo com os analistas, os robôs estão a executar cada vez melhor determinadas tarefas, o que também potencia crescimento da automatização. Indicaram igualmente que as “tarefas de escritório e do setor de serviços” serão cada vez mais automatizadas.
 Existem no entanto questões geopolíticas que devem ser consideradas, sublinharam, afirmando que a China está preparada para superar os Estados Unidos (EUA) nessa área.
Acreditamos que a atual guerra comercial passará para uma guerra tecnológica a partir de 2020, e que haverá uma nova disputa entre os EUA e a China para alcançar superioridade nacional em tecnologia a longo prazo no que diz respeito à computação quântica, ‘big data’, 5G, inteligência artificial, veículos elétricos, robótica e cibersegurança”, escreveram.


Este não é o primeiro relatório a prever a perda de emprego devido á automatização e robotização. Em 2017, um estudo do McKinsey Global Institute indicou que 800 milhões de empregos poderiam ser perdidos até 2030. O relatório indicava que mais de 70 milhões de empregos poderiam ser perdidos somente nos EUA.
Embora seja importante prestar atenção a esse tipo de previsão, também é importante lembrar que, geralmente, estão erradas, frisou o Inverse. “A automatização terá um grande impacto nas economias de todo o mundo, mas não saberemos exatamente quão grande será o impacto até que este ocorra”, lê-se ainda no artigo.



Referencia//Inverse


Sem comentários:

Enviar um comentário