quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Novo estudo triplica o risco do aumento do nível do mar

Inundações regulares podem se tornar realidade para centenas de milhões de pessoas.
Daqui a três décadas, mais de 300 milhões de pessoas poderão ter que enfrentar inundações costeiras anuais, e os níveis de marés altas mais elevados poderão cobrir as terras atualmente habitadas por cerca de 150 milhões de pessoas, muitas delas na Ásia.



Photo Pixabay//Wickedgood

Rios de agua quente provocam instabilidade no gelo antártico



Essas são previsões, publicadas na revista Nature, três vezes maiores que as estimativas atuais, e para combater isso são urgentes cortes moderados nas emissões de carbono.
O possível derretimento da camada de gelo da Antártica, pode levar a que mais 40 milhões de pessoas tenham que enfrentar inundações costeiras até 2050, chegando a um total de 630 milhões no final do século.
"Essas avaliações mostram o potencial que as mudanças climáticas têm para remodelar cidades, economias, costas e regiões inteiras durante a nossa vida", diz o principal autor Scott Kulp da Climate Central nos EUA.
Scott Kulp e o co-autor Benjamin Strauss fizeram estas estimativas atualizadas usando um novo modelo de elevação digital, o CoastalDEM , que corrige erros sistemáticos nas previsões atuais produzidas pela Shuttle Radar Topography Mission (SRTM) da NASA.


O SRTM mede as elevações detetáveis ​​mais altas, que incluem árvores e telhados. Isso pode resultar em super estimativas que variam de mais de dois metros para elevações costeiras, excedendo a elevação prevista do nível do mar deste século, e quatro metros em áreas urbanas de alta densidade.
O CoastalDEM usa um modelo de rede neural que integra 23 variáveis, incluindo dados de população e vegetação, reduzindo esses erros médios para cerca de 10 centímetros, uma pequena fração das estimativas anteriores.



Photo Pixabay//Nacymac

Corrente quente do Atlântico pode estar a alterar o outro lado do mundo



"Para todas as pesquisas críticas feitas sobre as mudanças climáticas e as projeções do nível do mar", diz Strauss, "acontece que na maior parte da costa não sabíamos a altura do terreno".
Mesmo previsões otimistas baseadas na redução das emissões de carbono e no gelo antártico estável, ​​excedem muito as estimativas anteriores usando SRTM, observam os autores.
Independentemente do modelo ou dos cenários de emissão, eles relatam que mais de dois terços das pessoas que habitam as zonas vulneráveis ​​estão em oito países asiáticos: China, Bangladesh, Índia, Vietnam, Indonésia, Tailândia, Filipinas e Japão.

Somente na China, entre 43 e 57 milhões de pessoas poderão viver abaixo da linha da maré alta até o final do século, dependendo da estabilidade do gelo antártico.
Vinte outros países, todos eles insulares, têm 10% ou mais da população abaixo dos níveis da maré alta, mesmo nos cenários mais positivos.
Os EUA também podem enfrentar uma migração em massa neste século como resultado do aumento do nível do mar, tendo como consequência a distribuição da população e sobrecarregando os recursos do interior. O impacto nos países menos desenvolvidos ainda não foi avaliado.
É difícil extrapolar essas projeções e seus impactos para nações em desenvolvimento com mais recursos limitados”, alertam os autores, “embora, historicamente, eventos de migração em larga escala tenham representado sérios desafios à estabilidade política, gerando conflitos”.
"Se nossas descobertas se mantiverem, as comunidades costeiras de todo o mundo devem se preparar para um futuro muito mais difícil do que se pode esperar atualmente."



Photo Pixabay//PublicDomainPictures


As pessoas podem explorar áreas ameaçadas no nível do bairro usando um mapa global interativo que o Climate Central produziu a partir de seus novos dados.
Mas, embora esses cenários melhorem bastante as estimativas atuais, é necessário mais trabalho para ajudar a melhorar a precisão das previsões.
“Nossos dados melhoram a situação”, diz Strauss, “mas ainda há uma grande necessidade de governos e empresas aeroespaciais de produzir e liberar dados de elevação mais precisos. Vidas e meios de subsistência dependem disso. ”

Parte da geleira do Mont Blanc à beira do colapso


O nível do mar já sobe 3,6 mm por ano e tende a aumentar


Referencia//Nature


Sem comentários:

Enviar um comentário