sábado, 12 de outubro de 2019

A Marinha patenteou um reator de fusão compacto, mas funcionará?

O poder da fusão é o Santo Graal da energia limpa há décadas. Agora, a Marinha dos EUA garantiu uma patente de um projeto de reator de fusão compacto que revolucionaria o mundo, se funcionar. Mas tudo ainda está confuso, mesmo para os padrões do Departamento de Comércio e Patentes dos EUA.



Photo ExtremeTech

Naves espaciais com motor de fusão podem estar para breve

A fusão poderia fornecer enormes quantidades de energia sem nenhum dos problemas de resíduos associados à produção de energia nuclear baseada em fissão. Como o deutério pode ser extraído da água do mar, há material suficiente na Terra para atender às nossas necessidades de energia planetária durante milhões de anos, superando amplamente as reservas recuperáveis ​​de qualquer outro combustível fóssil. No espaço, os foguetes de fusão acelerariam bastante as viagens espaciais. Um artigo de 1998 estimou o tempo de viagem de ida e volta da Terra a Marte em apenas 130 dias. Atualmente, são necessários de 150 a 300 dias para chegar a Marte a partir da Terra, dependendo da posição relativa dos dois planetas.

 
Photo ExtremeTech


Cientistas mais perto da fusão nuclear



A fusão é incrivelmente eficiente, incrivelmente poderosa e atualmente indisponível exceção ás armas nucleares ou ao Sol. Os cientistas não descobriram como equilibrar a produção de energia. Até o momento, a energia necessária para manter uma reação de fusão foi superior à energia que podemos extrair do processo. Qualquer descoberta que nos leve em direção a um poder de fusão viável e econômico é bem recebida, seja pelo interesse em reduzir as emissões de CO 2 , explorar o espaço ou fornecer energia de linha de base confiável, onde não haja  derretimentos e reações descontroladas.
A patente concedida à Marinha é para um dispositivo de " fusão por compressão de plasma ", mas o documento é bastante vago sobre como esses ganhos são alcançados. Frases como "É uma característica da presente invenção fornecer um dispositivo de fusão por compressão de plasma que gere ganho de energia por fusão nuclear induzida por compressão de plasma" são quase tautológicas na sua construção. O documento também afirma: "É um recurso da presente invenção fornecer um dispositivo de fusão por compressão de plasma que possa produzir energia na faixa de gigawatt a terawatt (e superior), com potência de entrada na faixa de kilowatt a megawatt".


Esta patente está basicamente indicando que pode contornar todos os anteriores problemas. Seria uma conquista importante para obter uma saída no nível de megawatt de um número menor de megawatts de entrada neste momento. É verdade que as patentes podem esperar o que elas esperam que seja possível no futuro, mas, novamente, não se sabe de onde essas melhorias vêm.
Supostamente, o reator também é capaz de ignição por fusão, uma reação auto-sustentável na qual a energia produzida pelo reator é o suficiente alta para aquecer a massa de combustível mais rapidamente do que vários mecanismos de perda podem esfriá-lo. A ignição é um objetivo ainda mais avançado do que alcançar um ponto de equilíbrio, porque o ponto de equilíbrio ignora explicitamente a energia perdida no ambiente do reator. A ignição é necessária a qualquer reator comercial prático. Mas, novamente, alegar ter resolvido o problema de ignição antes mesmo de conseguirmos equilibrar  produção líquida de energia é um avanço enorme.



Membros da equipe Skunk Works trabalhando em seu reator de fusão compacto experimental. Photo Lockeed Martin

A energia resultante da fusão está perto


Além disso, como o The Drive detalhou em um extenso relatório , o autor por trás dessa patente, Salvatore Cezare Pais, tem um histórico de registrar patentes muito estranhas. Pais trabalha como engenheiro aeroespacial na base de testes de aeronaves da Marinha. Uma de suas patentes anteriores descreve uma "nave híbrida aeroespacial-subaquática". A nave é supostamente capaz de criar um "vácuo quântico" á sula volta, permitindo repelir as moléculas de ar e água com as quais entra em contato e permitindo uma velocidade incrível e manobrabilidade
Mas o Pais não é apenas um maluco com uma conta do Gmail. Quando o USTPO recusou a concessão de uma patente relacionada a essa suposta descoberta, o CTO da Empresa de Aviação Naval dos EUA, Dr. James Sheehy, escreveu ao escritório de patentes para garantir sua legitimidade. A relação entre este evento e a vontade da Marinha de confirmar a legitimidade dos vídeos de OVNIs divulgados no mês passado é objeto de especulações contínuas.
O Drive observa que falou com alguns físicos sobre as patentes de Pais, incluindo esta, e todos acham que todas essas patentes estão além do domínio da física conhecida e são quase ridículas em termos de viabilidade. O resultado final de tudo isso é que a Marinha agora possui uma patente de um tipo de reator nuclear compacto que poderia resolver praticamente todos os problemas de energia que a raça humana enfrenta atualmente, mas não revelou nada sobre se estamos mais perto de construir o tipo do dispositivo supostamente patenteado


“Sol artificial” será concluído este ano na China



Fonte//ExtremeTech



Sem comentários:

Publicar um comentário