sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Primeiro cybercrime com recurso á Inteligência Artificial


Alguém roubou 220 mil euros falseando um áudio da voz do CEO da empresa, tornando este o primeiro crime com recurso a uma voz gerada por Inteligência Artificial (IA).
Um impostor conseguiu convencer um CEO de uma empresa energética do Reino Unido, de que fazia uma chamada telefónica com o presidente da empresa-mãe na Alemanha.


Photo Pixabay geralt

Robots com IA ameaçam "substituir a intimidade humana"



A voz, gerada por IA, ordenou que o CEO transferisse 220 mil euros para a conta bancária de um fornecedor na Hungria, a fim de evitar “multas por atraso no pagamento”, ordem que foi prontamente cumprida CEO.
Todos os detalhes para a transferência foram enviados por email enquanto decorria a conversa. Como é óbvio, a transferência foi para o burlão e não para o “fornecedor”. A fraude ocorreu em Março deste ano, mas a seguradora da empresa, a Euler Hermes, só esta semana forneceu detalhes do ocorrido.
“O software conseguiu imitar a voz com a tonalidade certa, a pontuação e o sotaque, tudo na perfeição", disse o porta-voz de Euler Hermes, Antje Wolters, ao The Washington Post.





O golpe foi descoberto porque os ladrões tentaram repetir a proeza e voltaram a ligar ao CEO a exigir um novo pagamento, alegando que o dinheiro tinha sido reembolsado. O burlão ainda ligou uma terceira vez para pedir outro pagamento.
Embora usando a mesma voz falsa, a última chamada foi realizada com um número de telefone da Áustria e como o reembolso não se tinha-se concretizado, levantou suspeitas sobre a autenticidade do autor da chamada e o CEO não obedeceu. Então ligou diretamente ao CEO da empresa-mãe.


Photo Shuterstock

Fundador do WikiLeaks revela ameaça á humanidade


O dinheiro enviado não foi recuperado, tendo sido movimentado através de contas na Hungria e no México e espalhado por outros lugares, não sendo até agora nenhum suspeito identificado ou detido.
A tecnologia de voz gerada por IA tem-se tornado bastante realista nos últimos meses. Rüdiger Kirsch, especialista em fraudes da Euler Hermes, disse que acredita que tenha sido usado um software disponível comercialmente imitar a voz do CEO.
De acordo com o IFLScience, este tipo de tecnologia projetada para imitar os padrões naturais de voz pode ter algumas aplicações muito interessantes. Numa demonstração feita no ano passado, por exemplo, o assistente de IA do Google ligou a um restaurante e a um cabeleireiro e marcou uma mesa e uma consulta, sem que o quem o atendeu, do outro lado da linha, soubesse que estava a falar com um algoritmo.

Robots dançarinos animam noites de boate francesa


Xin Xiaomeng, a primeira pivô de inteligência artificial do mundo

Hackers ameaçam eleições em todo o mundo


Este artigo foi originalmente publicado por The Washington Post //IFLScience







Sem comentários:

Publicar um comentário