domingo, 15 de setembro de 2019

A energia nuclear pode travar o aquecimento global


Os países mais avançados do mundo estão questionando se irão usar a energia nuclear no futuro, enquanto as economias emergentes estão enveredando pelas tecnologias mais recentes. A questão é saber se o mundo pode cumprir seus compromissos no âmbito das mudanças climáticas, usando energia limpa e que funciona de maneira confiável e ininterrupta.

 
Photo Pixabay Ben Kerckx

Reator transforma dióxido de carbono em puro combustível líquido


É inevitável usar a energia nuclear. Até 2050, a população mundial aumentará 40% e a procura por energia dobrará ou triplicará, além do fato de que cerca de mil milhões de pessoas ainda não têm acesso à eletricidade atualmente. Isso corresponde à mais recente avaliação das Nações Unidas, se não conseguirmos manter a temperatura, o nível do mar aumentará e as condições meteorológicas extremas serão muito mais vulgares.
As centrais nucleares são de construção muito cara, mas o preço por as não construir ainda é mais elevado. Cerca de 500 líderes empresariais dos Estados Unidos representando a E2 dizem a produção de energia que custará à economia americana US $ 500 mil milhões por ano até o final do século.



 As centrais nucleares depois de construídas são de operação barata e são extremamente eficientes e não produzem emissões de gases de efeito estufa, representando na atualidade aproximadamente 60% da eletricidade livre de CO2 dos Estados Unidos.
"As pessoas que pensam que podemos atingir os objetivos climáticos sem usar a energia nuclear, simplesmente não estão olhando para os fatos", advertiu o senador norte-americano Corey Booker, DN.J. no fórum presidencial democrata sobre mudanças climáticas realizado na CNN.
 Andrew Yang também expressa o seu apoio à energia nuclear. As opiniões do ex-vice-presidente Joe Biden são semelhantes às do ex-presidente Obama, que apoiou amplamente a energia nuclear. Esses políticos têm algum apoio de alto nível, incluindo progressistas, ex-chefes da Agência de Proteção Ambiental dos EUA e James Hanson, no Columbia University Earth Institute.


Photo Pixabay fietzfotos


Hidrogénio, o combustível do futuro energético limpo e seguro

A realidade é que a tecnologia está avançando e aprimorando as eficiências e os recursos de segurança das centrais nucleares existentes. Na seman passada arrancou a produção na central nuclear de Taishan, na província chinesa de Guangdong. É o resultado de uma parceria chinesa e francesa que originou a geração III-plus, que significa a redução de custos de produção, melhor utilização de combustível, menor combustível usado, maior confiabilidade e medidas de segurança mais fiáveis e rigorosas, sendo a segunda de duas unidades que juntas produzem 1.750 megawatts.
O sucesso do projeto Taishan é o resultado de uma cooperação entre a EDF e a CGN nos setores nucleares francês e chinês. A tecnologia europeia dos reatores nucleares é segura e competitiva, é um ativo cada vez mais importante para tornar a produção de energia totalmente livre de CO2.

O calor da crosta terrestre pode se tornar em fonte de energia elétrica


Este artigo foi publicado originalmente por Forbes






Sem comentários:

Publicar um comentário