sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Capital da Indonésia à beira do colapso


Jacarta é uma das cidades que mais afundam na Terra, especialistas em meio ambiente alertam que um terço da área poderá estar submersa até 2050 se continuar a afundar ao ritmo atual.
Décadas de esgotamento descontrolado e excessivo das reservas de água subterrânea, a subida do nível do mar e padrões climáticos cada vez mais voláteis significam que partes da capital Indonésia já começaram a desaparecer.


Photo Pixabay



As medidas ambientais existentes tiveram pouco impacto, por isso as autoridades estão tomando medidas drásticas. A Indonésia terá uma nova capital. A sua localização deverá ser anunciada em breve, de acordo com relatórios locais.
"A capital do nosso país mudar-se-á para a ilha de Bornéu", disse o líder indonésio Joko Widodo no Twitter.
Mudar o coração administrativo e político do país pode ser um ato de preservação nacional, mas soa a uma sentença de morte decretada a Jacarta, onde muitos dos 10 milhões de habitantes da cidade têm poucos meios para fugir.
"Quando as enchentes chegaram, eu tremi", disse o proprietário da barraca de comida, Rasdi, à AFP. "Quase me afoguei em 2007, todos os meus pertences foram levados pelas águas e tive que começar tudo de novo”.
Construída numa zona de terremotos, em pântanos, perto da confluência de 13 rios, as fundações da cidade foram ainda mais enfatizadas pelo desenvolvimento descontrolado, tráfego intenso e falta de planeamento urbano.






Jacarta não tem um sistema de água canalizada e tratada, mas usa a agua captada nos aquíferos do norte da cidade, que abastece a indústria local e milhões de habitantes.
Essa extração desenfreada de água subterrânea causa o aluimento de terras, o que está fazendo Jacarta afundar até 25 centímetros por ano em algumas áreas, o dobro da média global para as principais cidades costeiras.
Atualmente, algumas partes estão a cerca de quatro metros abaixo do nível do mar, mudando irrevogavelmente a paisagem e deixando milhões vulneráveis ​​aos desastres naturais.
As inundações são vulgares durante a estação chuvosa e espera-se que piore à medida que o nível do mar sobe devido ao aquecimento global.
O esqueleto parcialmente submerso de uma mesquita abandonada à beira-mar ressalta a gravidade do problema, enquanto vastas poças cicatrizam as estradas e, para alguns, o piso térreo das suas casas não é mais habitável.
A água turva e verde corre pelo chão de um prédio abandonado, enquanto pequenos barracos em palafitas se alinham na beira-mar. "Pode ver com seus próprios olhos", disse Andri, um homem de 42 anos,"quando eu era criança, costumava nadar ali", acrescentou ele. "Com o tempo, a água continuou subindo cada vez mais."


Photo Climainfo

Mesmo enquanto Widodo prossegue com o plano de uma capital do século 21 na ilha de Bornéu, as autoridades locais estão desesperadamente investigando soluções para Jacarta.
Foi aprovado um esquema para construir ilhas artificiais na baía de Jacarta, que funcionaria como um amortecedor contra o Mar de Java, bem como um enorme dique costeiro.
Mas não há garantia de que o projeto estimado em US $ 40 mil milhões, que já conta com muitos anos de atraso, resolveria os problemas da cidade.
A construção de barreiras foi tentada antes. Foi construído um muro de betão ao longo da costa no distrito de Rasdi e outros bairros de alto risco.
Mas quebraram e estão a afundar. A água passa por eles, inundando o labirinto de ruas estreitas e barracos nos bairros mais pobres da cidade.






"Construir muros não é uma solução permanente", disse Heri Andreas, cientista da Terra no Instituto de Tecnologia de Bandung. “Precisamos ir para a verdadeira solução, a gestão da água
O centro da maior economia do Sudeste Asiático tem passado por um desenvolvimento vertiginoso ao longo dos anos. Novos edifícios e arranha-céus estão comprimindo o terreno, o que agrava seu problema de afundamento.
Mas o maior culpado é a extração excessiva de água subterrânea, e a cidade não tem como atender à procura devido à falta de instalações de retenção de água ou de uma rede de tubagem abrangente.
Mas Jacarta não é o único centro urbano que está afundando.
Cidades de Veneza e Xangai a Nova Orleans e Bancoque também estão em risco, mas Jacarta pouco faz para enfrentar o problema, segundo Andreas.

Mudança Climática. Temos 18 meses para salvar o planeta




Fonte//Phys











Sem comentários:

Publicar um comentário