sexta-feira, 5 de julho de 2019

Um tipo raro de lago de lava foi encontrado na Antártida


Quando pensamos em vulcões, imaginamos logo lagos borbulhantes de lava derretida. A realidade é um pouco diferente. Esses terríveis lagos de lava existem, mas são muito mais raros do que se imagina. Existem apenas alguns de lagos de lava persistente entre os estimados 1.500 vulcões ativos por todo mundo e agora foi descoberto mais um desses raros lagos.



Photo ScienceAlert

24% do gelo da Antártida Ocidental esta se tornando instável



Cientistas do Reino Unido identificaram o que é o oitavo lago de lava persistente conhecido no mundo, no interior do vulcão ativo Monte Michael, situado no topo da remota Ilha Saunders nas Ilhas Sandwich do Sul subantárticas, nas margens meridionais do Atlântico Sul.
A atividade vulcânica no Monte Michael é documentada há quase 200 anos, mas o extremo isolamento da ilha, e as condições muito adversas, tornam as investigações uma tarefa difícil, se não impossível.
"A ilha foi visitada em várias ocasiões, mas ninguém jamais escalou a montanha", disse à BBC o analista geoespacial Peter Fretwell, da Pesquisa Antártica Britânica (BAS) .
 "O pico é cercado por um enorme cogumelo de neve, neve extremamente macia com uma consistência de creme de açúcar, provavelmente causada pelas contínuas emissões de vapor do vulcão".
De acordo com Fretwell, este terreno macio e traiçoeiro impossibilita a ida de expedições para avaliar o vulcão.
Não se pode superar isso" , disse ele . "Teríamos que cavar através da neve, mas fazer isso em um vulcão tão ativo seria perigoso."
Apesar dos obstáculos, há muito tempo existe um ímpeto para saber mais sobre o que está acontecendo sob cume fumegante do Monte Michael.
Foram detetadas anomalias térmicas no vulcão por satélite na década de 1990, mas as leituras não eram indicativas de haver transbordo de magma pela cratera, sugerindo potencialmente a existência de um lago de lava.




Ao contrário doa lagos de lava temporários, que só aumentam durante períodos de erupção, os lagos de lava persistentes, são uma característica duradoura que pode durar além de um único episódio eruptivo, em alguns casos por até 100 anos.
Num novo estudo, Fretwell e outros pesquisadores examinaram imagens de satélite mais recentes e de maior resolução, registradas nos dados Landsat, Sentinel-2 e ASTER entre 2003 e 2018.
Uma análise térmica dos dados de infravermelho de ondas curtas (SWIR) identificou um lago de lava sob o Monte Michael com uma largura estimada de 110 metros, e temperaturas de lava chegando a 1.279 ° C (2.334 ° F).


Photo ScienceAlert

O aquecimento do Ártico contribui para a seca mundial



 É um achado notável, mas o maior impacto a longo prazo pode ser as novas técnicas analíticas desenvolvidas para descobrir essa formação "extremamente rara" .
"Identificar o lago de lava melhorou nossa compreensão da atividade vulcânica e perigo nesta ilha remota, e diz-nos mais sobre esses recursos raros", explica o geólogo do BAS Alex Burton-Johnson num comunicado.

"E, finalmente, ajudou-nos a desenvolver técnicas para monitorizar os vulcões do espaço."

Cientistas descobrem buraco gigante na Antártida


O que irá acontecer á humanidade se a Antártida colapsar


Cientistas avisam que o oceano está ficando sem oxigênio








Sem comentários:

Publicar um comentário