domingo, 14 de julho de 2019

Rússia lança telescópio espacial


A Rússia lançou um telescópio espacial no sábado, a partir do cosmódromo em Baikonur, no Cazaquistão, um projeto conjunto com a Alemanha, destinado a substituir um que se perdeu em Janeiro.
 O lançamento foi originalmente agendado para 21 de Junho, mas foi adiado duas vezes por causa de um problema de bateria.


Photo Phys


O Spektr-RG, desenvolvido com a Alemanha, é um observatório espacial destinado a substituir o Spektr-R, conhecido como o "Hubble russo", que a Roskosmos disse ter perdido o controlo em janeiro.
O Spektr-R foi lançado em 2011 para observar buracos negros, estrelas de nêutrons e campos magnéticos. Seu sucessor assumirá funções semelhantes, mas também trabalhará para completar o mapa do mundo, informou a  Roskosmos.
O programa espacial da Rússia, há muito uma fonte de grande orgulho para a nação, sofreu uma série de reveses nos últimos anos, embora o país continue com projetos ambiciosos.




Desde 2011, a Rússia tem sido o único país capaz de enviar equipes para a Estação Espacial Internacional (ISS), mas uma série de problemas recentes, juntamente com escândalos de corrupção dentro da Roskosmos e a concorrência do SpaceX de Elon Musk, ameaçaram seu monopólio.
O próximo lançamento da ISS está agendado para 20 de Julho e levará um astronauta italiano e norte-americano juntamente com um cosmonauta russo.






Marinha dos EUA obtém a patente para uma nave futurista


A missão de pesquisa do telescópio deve durar seis anos e meio, incluindo uma varredura de quatro anos nos céus e o restante destina-se a observar objetos no espaço "a pedido da comunidade científica internacional", disse o comunicado da agência.
Levará cerca de três meses para chegar ao seu destino, uma posição de observação de cerca de 1,5 milhão de quilómetros da Terra.

Espera-se que o telescópio descubra cerca de três milhões de buracos negros supermassivos durante sua vida útil, bem como cerca de 100.000 aglomerados de galáxias gigantescas espalhados pelo universo conhecido, acrescentou a agência.

Ceres, o primeiro planeta anão visitado por uma nave espacial



Fonte//Phys





Sem comentários:

Publicar um comentário