segunda-feira, 8 de julho de 2019

O planeta perdeu 9 triliões de toneladas de gelo nos últimos 50 anos


Entre 1961 e 2016, houve o derretimento de 9 mil giga toneladas de gelo, 9 triliões de toneladas, em glaciares do mundo todo. Esse fenômeno provocou o aumento de 27 milímetros do nível dos oceanos. Pode parecer pouco, mas não é.
Algumas das cidades mais populosas do mundo estão localizadas em zonas costeiras, e mesmo o mais pequeno aumento do nível do mar provoca graves problemas e riscos para as pessoas que ali vivem.



Photo Pixabay

Mudanças climáticas ameaçam fortemente a Grã-Bretanha


Sempre que se fala em geleiras, lembramo-nos logo das regiões do Ártico e da Antártica, mas há glaciares em todos os continentes, e todos estão sofrendo com o impacto das mudanças climáticas.
A constatação foi feita por investigadores de diversas universidades internacionais e publicada num artigo científico na revista Nature.
São mais de 700 mil km2 de geleiras no planeta, além daqueles localizados na Groenlândia e na Antártica. Utilizando dados de estudos no terreno aliados a informações de satélites, os cientistas calcularam a quantidade de gelo perdido ou ganho em 19 regiões glaciares diferentes.





As maiores perdas foram registradas no Alaska, seguidas por algumas áreas na Groenlândia e nos andes sul americanos. Uma redução significativa nas camadas de gelo também foi observada em glaciares no Canadá e na Rússia.
Embora agora possamos dar informações claras sobre a quantidade de gelo que cada região perdeu, também é importante observar que a taxa desse degelo aumentou significativamente nos últimos 30 anos. Atualmente estamos perdendo um total de 335 mil milhões de toneladas por ano, o que corresponde a um aumento no nível do mar de quase 1 mm por ano ”, alertou Michael Zemp, investigador da Universidade de Zurique, na Suíça, e principal autor do estudo.



Perda de massa glaciar global 1961–2016 Photo Esa

Animação mostra como seria a Terra se todo o gelo derretesse


Ainda de acordo com ele, em cada ano perdemos cerca de três vezes o volume de gelo dos alpes europeus e isso representa aproximadamente 30% da atual taxa de aumento do nível do mar.
Zemp salienta ainda que o derretimento das geleiras não tem consequências apenas nos oceanos, mas também comunidades que vivem próximo a essas áreas. “O desaparecimento dos glaciares significa menos água para milhões de pessoas, menos energia hidrelétrica e água para a agricultura, além de aumentar muito o risco de desastres naturais, como inundações e enchentes”.


O desaparecer das nuvens trás nova ameaça



Fonte//ESA





Sem comentários:

Publicar um comentário