quinta-feira, 4 de julho de 2019

Lentes auto focais ajudam pessoas com presbiopia

Engenheiros da Universidade de Stanford desenvolveram as chamadas lentes auto focais que superam as limitações das lentes progressivas usadas por pessoas com presbiopia. Mais comum em pessoas com idades a partir dos 40 anos, a presbiopia faz com que os olhos percam a elasticidade necessária para focar objetos próximos. Os óculos de leitura normalmente corrigem o problema, mas algumas pessoas podem precisar usar lentes progressivas que podem distorcer a visão periférica e aumentar o risco de queda.



Photo Nitish Padmanaban

O álcool altera nosso DNA e faz querer beber ainda mais



"Mais de mil milhões de pessoas têm presbiopia. Agora, criamos lentes auto focais que poderão corrigir a visão dessas pessoas de forma muito mais eficaz do que os óculos tradicionais", disse o engenheiro elétrico de Stanford, Gordon Wetzstein.
O protótipo, descrito em Science Advances, parecem óculos de realidade virtual, mas a equipa espera simplificar grandemente nas versões futuras de maneira a se assemelhar a óculos normais.
 Num comunicado, Stanford disse que o protótipo funciona de forma semelhante à lente do olho, com lentes cheias de fluido que se dilatam e diminuem à medida que o campo de visão muda. Inclui também sensores de rastreamento ocular que triangulam para onde uma pessoa está olhando e determinam a distância precisa ao objeto.






A equipa não inventou essas lentes ou rastreadores oculares, mas desenvolveu o software que aproveita esses dados de rastreamento ocular para manter as lentes cheias de fluido em foco constante e perfeito.
Para validar a sua abordagem, a equipa de Stanford testou o protótipo em 56 pessoas com presbiopia.Os sujeitos que se submeteram ao teste disseram que as lentes de autofoco tiveram um desempenho melhor e mais rápido na leitura e em todas as outras situações. Os utilizadores também preferiram os óculos autofocais às lentes progressivas.
 O laboratório de Wetzstein atua em sistemas de visão para realidade virtual e aumentada e foi durante esse trabalho que os investigadores se conscientizaram para a conceção das novas lentes auto focus e eye-trackers, e conceberam um produto potencialmente transformador.
 De acordo com Stanford, o próximo passo será desenvolver óculos auto focais leves, energeticamente eficientes e elegantes.


Oito hábitos que aumentam a esperança média de vida


Viver mais e melhor pode não ser tão complicado como possa parecer


As 5 substâncias mais viciantes na Terra









Sem comentários:

Publicar um comentário