domingo, 28 de julho de 2019

Hidrogénio, o combustível do futuro energético limpo e seguro


Agência Internacional de Energia afirma que o hidrogénio é a chave para o futuro energético limpo e seguro. O mundo está perante uma importante oportunidade para aproveitar o grande potencial do hidrogénio para se tornar numa grande parte fundamental de um futuro energético mais sustentável e seguro, defendeu a Agência Internacional de Energia num relatório recente.



Photo EuroNwes


Fatih Birol, diretor executivo da AIE e Hiroshige Seko, ministro da Economia, Comércio e Industria do Japão, deram a conhecer o relatório “O futuro do hidrogénio: aproveitar as oportunidades de hoje”, sendo que atualmente o hidrogénio limpo tem um forte apoio dos governos e das empresas de todo o mundo, estando vários projetos em rápida expansão.


O hidrogénio pode ajudar a enfrentar vários desafios energéticos:

Ajudar a armazenar a produção variável de fontes renováveis como a solar fotovoltaica e a eólica, satisfazendo as necessidades de procura.
Oferece outras formas de acabar com os combustíveis fosseis em vários setores, como o transporte a longas distâncias, produtos químicos, o ferro e o aço, onde dificilmente se conseguem reduzir as emissões de CO2.
Melhorar a qualidade do ar e fortalecer a segurança energética.






 Mas como produzir o hidrogénio?

São vários os combustíveis através dos quais se pode produzir hidrogénio, como energias renováveis, energia nuclear, gás natural, carvão e petróleo.
Este pode ser transportado na forma de gás, através de gasodutos, ou liquefeito em navios, tal como o gás natural liquido.
Pode ainda ser transformado em eletricidade e metano para alimentar a indústria e rações, combustível para carros, camiões, barcos e aviões.

Este desenvolvimento e aposta no hidrogénio deve-se a um impulso sem precedentes, especialmente dos governos que importam e exportam energia, bem como pela indústria das energias renováveis, serviços públicos de eletricidade e gás, fabricantes de automóveis, empresas petrolíferas, principais empresas de tecnologia e grandes cidades.
O mundo não deve perder esta oportunidade de integrar o hidrogénio como parte fundamental do nosso futuro energético limpo e seguro!
Como aproveitar este impulso?
São 7 as recomendações da Agência Internacional da Energia para ajudar os governos, empresas e outros interessados em expandir os seus projetos de hidrogénio por todo o mundo. Essas recomendações incluem 4 áreas onde as ações de hoje podem ajudar a delinear as bases para o crescimento de uma indústria global de hidrogénio limpo nos próximos anos:

Fazer dos portos industriais centros nevrálgicos para ampliar o uso de hidrogénio limpo
Aproveitar as infraestruturas existentes, como as tubagens de gás natural
Expandir o uso de hidrogénio no transporte, nomeadamente automóveis, camiões, autocarros que fazem sempre as mesmas rotas chave
Lançar rotas marítimas internacionais para comercializar hidrogénio.





O futuro dos automóveis não será elétrico mas sim a hidrogénio


 Desafios do hidrogénio

O relatório indica ainda que o hidrogénio enfrenta grandes desafios.
A produção de hidrogénio a partir de energia com baixo teor de CO2 é cara, e o desenvolvimento das infraestruturas de hidrogénio é lenta, o que atrasa a sua adoção global. Sendo que há também limitações regulamentares que limitam esse desenvolvimento da industria do hidrogénio limpo.
Atualmente, o hidrogénio já é usado a uma escala industrial, mas é fornecido praticamente todo com recurso a gás natural e carvão. A sua produção, principalmente por indústrias químicas e refinarias, é responsável pela libertação para a atmosfera de 830 milhões de toneladas de CO2 por ano. Sendo esse valor equivalente às emissões anuais de carbono do Reino Unido e Indonésia juntos.
Produzir hidrogénio mais limpo é um grande desafio, mas também uma grande oportunidade. Uma das abordagens passa por capturar e armazenar ou usar o CO2 libertado da produção de hidrogénio a partir dos combustíveis fosseis. Atualmente há várias fábricas que se dedicam a este processo, e há mais em desenvolvimento, mas para um impacto significativo, há que aumentar o número dessas fábricas exponencialmente!





Outra abordagem passa pelas indústrias assegurarem um maior fornecimento de hidrogénio a partir de eletricidade limpa. Nas últimas duas décadas, tiveram início mais de 200 projetos para converter a eletricidade e água em hidrogénio para reduzir as emissões de CO2 para a atmosfera, provenientes do transporte, uso de gás natural e dos setores industriais, ou para apoiar a integração das energias renováveis no sistema energético.

Outro desafio importante é aumentar o uso de hidrogénio limpo em outros setores, como automóveis, camiões, edifícios de aço e aquecimento. Atualmente há já quase 11200 automóveis movidos a hidrogénio por todo o mundo. Os Governos pretendem aumentar este número para 2,5 milhões até 2030. Para isso os responsáveis políticos devem garantir que haja condições no mercado bem-adaptadas para alcançar esses objetivos tão ambiciosos.

Os recentes êxitos da energia solar fotovoltaica, energia eólica, baterias e veículos elétricos, são prova dada de como as politicas e inovações tecnologias tem poder de construir indústrias globais de energia limpa!

Hidrogénio, vantagens e desvantagens


Fonte//PortalEnergia








Sem comentários:

Publicar um comentário