quinta-feira, 25 de julho de 2019

Dispositivo remove quase 100% do sal da água do mar usando energia solar


Encontrar formas baratas e práticas de remover o sal da água do mar poderia ajudar potencialmente alguns dos 844 milhões de pessoas em todo o mundo sem acesso regular a água potável. Os cientistas acabaram de encontrar um novo método em nano-escala para fazer exatamente isso.


Photo Monash University

Usando um minúsculo disco feito de papel de filtro super-hidrofílico, revestido com nanotubos de carbono para absorção de luz, a nova técnica funciona apenas com a luz solar, mas é capaz de remover quase 100% do sal no líquido original.
A nova abordagem é baseada num método tradicional. Aquecer a água até evaporar e capturar o vapor, deixando o sal e outras impurezas para trás. Para transformar água em vapor usando energia do nosso Sol, é necessário usar materiais térmicos solares para converter eficientemente essa energia em calor.
Mas se esses materiais ficarem cobertos pelos cristais de sal da água que se evapora, o sistema pode bloquear. O novo método resolve esse problema com sucesso, mantendo uma taxa constante de evaporação da água à medida que os sais são colhidos e removidos do processo, para evitar que eles reduzam a eficiência.




Então, o que temos aqui é um método de dessalinização que é barato, prático e eficaz. Como é alimentado pela luz solar, os dispositivos que usam essa técnica podem ser particularmente úteis em locais sem acesso à eletricidade.
"Os resultados do estudo avançam em direção à aplicação prática da tecnologia de geração de vapor solar, demonstrando grande potencial na dessalinização de água do mar, recuperação de recursos de efluentes e zero descarga líquida", disse o engenheiro químico Xiwang Zhang , da Universidade Monash, na Austrália.
"Esperamos que esta pesquisa possa ser o ponto de partida para futuras pesquisas em formas energeticamente passivas de fornecer água limpa e segura a milhões de pessoas, iluminando o impacto ambiental de resíduos e recuperando recursos de resíduos".




O novo sistema usa um fio de algodão de 1 milímetro (0,04 polegada) de diâmetro para transportar água salgada para o disco de evaporação, onde a água pura é retida e os sais são empurrados para fora em direção às bordas.
Tudo isso é alimentado pela luz do sol e, nos testes, os investigadores mediram a absorção de luz de mais de 94% em todo o espectro solar, por isso, tem bom aproveitamento de qualquer luz solar que esteja disponível.
Como disse Zhang ao New Atlas, o novo dispositivo inovador é capaz de produzir de 6 a 8 litros de água limpa por metro quadrado de superfície por dia. Mas, os cientistas querem aumentar i indice de produção.
Não é a única abordagem interessante de dessalinização que vimos ultimamente; No ano passado, uma equipe dos EUA produziu uma técnica que funciona também a energia solar, baseada em hidrogel, para remover o sal da água do mar, com tanta capacidade de dessalinização que consegue dessalinizar a agua retirada do Mar Morto.



Photo Google Images


O desafio agora é ampliar esses métodos para torná-los práticos, tanto em termos de colocar os sistemas em funcionamento quanto em termos de quantidade de água que eles podem processar.
"O abastecimento de água é o maior desafio que o mundo enfrenta no século 21, especialmente à medida que a população cresce e os efeitos da mudança climática se agravam", diz Zhang . "As comunidades em desenvolvimento e com menos recursos sentem mais os efeitos desses fatores".
 "A utilização de energia solar para tratamento de água tem sido amplamente considerada como uma das soluções sustentáveis ​​para lidar com a escassez de água em algumas comunidades, sem sacrificar o meio ambiente ou os recursos".

Foi encontrada nos EUA a maior reserva de água doce subterrânea do mundo



Fonte//ScienceAlert











Sem comentários:

Publicar um comentário