terça-feira, 11 de junho de 2019

Pneus furados vão pertencer ao passado


A Michelin, em parceria com a General Motors (GM), revelou o protótipo do Uptis, um pneu sem ar que será testado num veículo comercial muito em breve.
Essa não é a primeira vez que é desenvolvida uma tecnologia idêntica, mas as opções anteriores funcionavam apenas a baixas velocidades.
No novo pneu, a camada do meio é feita uma mistura composta de borracha e fibra de vidro embebida em resina, permite que o carro circule a velocidades normais de estrada.



Photo General Motors


É um pneu com um visual menos atraente que pneus convencionais, mas a Michelin afirma que é tão confortável como eles. Alem disso é muito mais barato, seguro e ambientalmente viável
O Uptis deve ter benefícios financeiros e de segurança imediatos. Embora não seja completamente invulnerável, os pneus furados e desgaste irregular se tornarão coisas do passado.



Photo General Motors

Os pneus furados têm sido uma grande dor de cabeça dos motoristas. Em 2016, uma pesquisa conduzida pela Associação Automobilística Americana estimou que assistiu a 450.000 motoristas com reparação de pneus furados. Perda de pressão ou simplesmente passar por cima de um objeto perfurante pode estourar um pneu, causando atrasos e acidentes.
Além disso, as empresas acreditam que o Uptis poderá durar mais do que um pneu normal, porque não pode ser desgastado por ter pouca ou demasiada pressão.





A tecnologia sem ar ainda elimina a necessidade de um pneu sobressalente (estepe), que acrescenta peso e diminui a economia de combustível.
Por fim, torna a produção de pneus mais eficiente. Sua existência deve reduzir o número de pneus jogados fora devido a danos, segundo a Michelin, 200 milhões de pneus são atirados fora por ano.
A GM começará a testar o Uptis em Michigan, nos EUA, no final de 2019 numa frota de carros elétricos Chevrolet Bolt.






Se tudo correr bem, a versão final deve chegar a produção regular de carros em 2024. A montadora não indicou se e quais modelos específicos usarão os novos pneus.
Também ainda não está claro se a Michelin venderia os pneus separadamente ou se os veículos precisariam de algum tipo de jante modificada para usa-los.


Fonte//Engadget

Sem comentários:

Publicar um comentário