terça-feira, 21 de maio de 2019

Google suspende o acesso da Huawei a atualizações do Android

O Departamento de Comércio dos EUA adicionou a Huawei à sua lista de entidades na quarta-feira, o que significa que as empresas dos EUA precisarão de uma licença para negociar com a empresa chinesa.
O presidente dos EUA, Donald Trump, emitiu uma ordem executiva no mesmo dia que essencialmente proibirá a Huawei de vender seus produtos no mercado dos EUA por ser um risco de segurança nacional.


Photo Andy Wong


Desativar o Facebook é uma perda de tempo pois será sempre rastreado




O Google suspendeu os negócios com a Huawei, que exigem a transferência de hardware, software e serviços técnicos, exceto aqueles disponíveis publicamente por meio de licenciamento de código aberto.
Um porta-voz do Google disse que a empresa está "cumprindo a ordem e analisando as implicações" sem dar detalhes, enquanto a Huawei ainda não comentou o assunto.
No entanto, uma fonte disse à Reuters que a Huawei perderá imediatamente o acesso a atualizações do sistema operacional Android, do Google. As próximas versões dos smartphones Android também perderão o acesso a serviços populares, incluindo o Google Play Store, o Gmail e os aplicativos do YouTube.





"A Huawei só poderá usar a versão pública do Android e não poderá aceder aos aplicativos e serviços proprietários do Google", disse a fonte.
O Google deixará de fornecer suporte técnico para os aplicativos já existentes nos smartphones e tablets da Huawei. O único suporte que permanecerá são as atualizações de segurança fornecidas pelo Android Open Source Project (AOSP). No entanto, os utilizadores de dispositivos Huawei existentes que tenham acesso à Google Play Store poderão baixar atualizações de aplicativos fornecidas pelo Google. O Gmail e outros aplicativos são atualizados através da loja, ao contrário das atualizações do sistema operacional feitas por fabricantes de telefones e operadoras de telecomunicações afetadas pela lista negra da Huawei, disse a fonte.
Comentando sobre a decisão, o porta-voz da Huawei disse que a empresa continuaria a fornecer atualizações de segurança e serviços para seus smartphones e tablets.


Photo Pixabay

É tempo de acabar com a Facebook


"A Huawei continuará a fornecer atualizações de segurança e serviços de pós-venda para todos os produtos smartphone e tablet Huawei e Honor existentes, onde se inclui os que foram vendidos e que ainda estão em stock por todo o mundo", disse o porta-voz.
Em entrevista à Reuters em março, Eric Xu, presidente rotativo da Huawei, lançou um desafio em antecipação às ações de retaliação das empresas norte-americanas. “Não importa o que aconteça, a Comunidade Android não tem nenhum direito legal de impedir que qualquer empresa aceda á sua licença de código aberto”, disse ele.
A maioria dos aplicativos móveis do Google são proibidos na China, onde alternativas são oferecidas por concorrentes chineses como o Tencent e o Baidu. Portanto, para os mercados chineses, o impacto é mínimo. No entanto, o negócio europeu da Huawei, o seu segundo maior mercado, pode ser atingido por essa proibição, segundo Geoff Blaber, vice-presidente de pesquisa da CCS Insight.



No início desta semana, o presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou que o Departamento de Comércio e outras agências relevantes dos EUA elaborassem um plano para impedir que empresas dos EUA usassem equipamentos de telecomunicações de fabricantes estrangeiros se fossem considerados um "risco à segurança nacional". Uma ordem separada proibiu a Huawei de comprar tecnologia dos EUA sem a aprovação do governo.



Desativar o Facebook é uma perda de tempo pois será sempre rastreado



Plataforma de atualização da Asus é usada para espalhar malware


Fonte//SputnikNews




Sem comentários:

Enviar um comentário