sábado, 11 de maio de 2019

Futuro da energia nuclear, mais barato e mais seguro


As centrais nucleares são complicadas e de construção muito cara, razão porque fecham em maior número do que se constroem novas
Uma empresa de Oregon, a NuScale Power, quer mudar essa tendência construindo centrais nucleares, que são o inverso das atuais, mais pequenas, mais simples e mais baratas.


Impressão artistica NuScale Power

Cientistas afirmam que só há uma saida: Energia Nuclear




A empresa diz que o seu projeto usa pequenos reatores modulares podendo também funcionar bem com energias renováveis, como a eólica e a solar, produzindo eletricidade quando não há vento nem sol.
Os 98 reatores nucleares que operam no país atualmente, são grandes porque foram projetados para aproveitar as economias de escala. Muitos correm o risco de fechar na próxima década, em grande parte porque não podem competir com o gás natural, mais barato e com as energias renováveis.
Para responder a esse dilema, desenvolvemos economias de pequeno porte", diz Jose Reyes, diretor de tecnologia e cofundador da NuScale.




Em vez de um grande reator nuclear, Reyes diz que sua empresa usará uma série de 12 reatores bem menores. Eles seriam construídos numa fábrica e transportados por camião para um local que seria construído ao mesmo tempo.
"Enquanto se constrói os reatores num lado, constrói-se o resto num outro”, diz Reyes, “isso reduz o tempo de construção para cerca de metade".
O simulador da NuScale Power em Corvallis, Oregon, foi projetado para mostrar aos reguladores que a empresa pode operar 12 reatores a partir de uma sala de controlo.
A NuScale diz que também simplificou a forma como tudo é operado de maneira a torná-la mais segura.
O desastre de Fukushima em 2011 aconteceu no Japão quando um tsunami destruiu os geradores de emergência que arrefeciam os reatores, causando o colapso do reator.

NuScale Power Reactors. NuScale Power

China vai construir 20 centrais nucleares flutuantes



"Analisamos as formas como os sistemas falharam no passado e tentamos remover esse tipo de modo da não falharem no nosso projeto", diz Karin Feldman, vice-presidente do Gabinete de Gerenciamento de Programas da empresa.
O design da NuScale não depende de bombas ou geradores que possam falhar numa situação de emergência porque usa refrigeração passiva. Os reatores estariam num vaso de contenção, subterrâneo e numa enorme piscina de água que pode absorver calor.
Isso significa que mesmo com uma falha um reator estaria seguro. "Não requer mais água", diz Feldman. "Não requer alimentação CA ou CC. Não requer ação do operador. E pode permanecer nessa configuração segura pelo tempo que for necessário."






Enquanto os resíduos nucleares se acumulam as empresas privadas descobrem novas maneiras de armazená-las
A NuScale planeia construir sua primeira central nuclear no Idaho National Lab . A eletricidade vai alimentar o laboratório e vai para o Utah Associated Power Systems , ou UAMPS.
A organização estava procurando por uma fonte de produção de eletricidade sem recorrer ao uso de combustíveis fosseis para gerar energia quando fontes intermitentes, como painéis solares e turbinas eólicas, não produzem, e o design modular da NuScale é excelente para isso.
.A NuScale ainda precisa convencer a Comissão Reguladora Nuclear de que o projeto de sua central é seguro. Licenciar este design é um desafio. É tão diferente das centrais existentes que a regulamentação deve ser alterada para licencia-lo. Isso preocupa alguns críticos.

 
Photo Pixabay

Bill Gates exige energia nuclear


"Minha preocupação com a NuScale é que eles acreditam tão profundamente que seu reator é seguro e não são necessários os mesmos critérios que os reatores maiores” diz Edwin Lyman, diretor interino da empresa. Projeto de Segurança Nuclear na União de Cientistas Preocupados.
Lyman argumenta que, mesmo com o design de segurança passiva da NuScale, as coisas possam dar errado. Ele estará entre os que observam os reguladores de perto, já que a NuScale está pronta para ter sua primeira central de energia construída e operando em 2026.


“Sol artificial” será concluído este ano na China


Acordo do governo Britânico para aumentar a energia eólica offshore


Cientistas mais perto da fusão nuclear

Fonte//NPR






Sem comentários:

Publicar um comentário