domingo, 12 de maio de 2019

É tempo de acabar com a Facebook


Chris Hughes, cofundador do Facebook, disse, num artigo de opinião no New York Times, que está na hora deste acabar. Para Hughes, o seu colega Mark Zuckerberg está com um poder sem precedentes.
 O aviso vem do cofundador do Facebook, Chris Hughes e não de alguém sem conhecimento de causa. O empresário americano diz, no seu longo artigo de opinião para o jornal New York Times, que “é hora de acabar com o Facebook“.


Hughes foi colega de quarto de Zuckerberg, em Harvard, e ajudou-o quando teve a ideia de criar uma rede social chamada “The Facebook”. O cofundador já abandonou a empresa há mais de dez anos, mas deixou agora uma mensagem para o seu colega de faculdade.
Na sua opinião, a empresa tornou-se demasiado grande e dá demasiado poder a Zuckerberg. “Mark é uma pessoa boa e gentil”, escreveu Hughes. “Mas estou zangado porque o seu foco no crescimento levou-o a sacrificar a segurança e o civismo por cliques”.

Sem papas na língua, Hughes escreveu estar dececionado consigo mesmo e com a equipa inicial do Facebook por não pensar mais em como o algoritmo do feed de notícias poderia “mudar a nossa cultura, influenciar eleições e capacitar líderes nacionalistas“. Além disso, diz-se preocupado com o CEO, que “talvez esteja rodeado de uma equipa que reforça as suas crenças em vez de desafiá-las”.
E se não é a sua equipa a desafiá-lo, Hughes diz que a responsabilidade tem de ser da Federal Trade Comission (FTC), organismo que protege o consumidor e elimina e previne práticas comerciais anti competitivas.





Explica ainda que multas de cinco mil milhões de dólares não são suficientes para responsabilizar a empresa e pede medidas regulatórias mais pesadas, e até, se necessário, acabar com o Facebook.
“O maior erro da FTC foi permitir que o Facebook adquirisse o Instagram e o WhatsApp”, escreveu Hugues, citado pelo Ars Technica. Isto porque a aquisição destas duas empresas levou a que o Facebook criasse um monopólio no mercado.


Em comunicado, o Facebook já respondeu ao apelo de Chris Hughes. “O Facebook aceita que, com o sucesso, vem a responsabilidade. Porém, não se impõe a responsabilidade exigindo o fim de uma empresa americana bem sucedida”, lê-se no comunicado.
A responsabilidade das empresas de tecnologia só pode ser alcançada através da introdução meticulosa de novas regras para a Internet. Isso é exatamente o que Mark Zuckerberg pediu. De facto, ele está a reunir-se com líderes do Governo, esta semana, para promover esse esforço”, explicou Nick Clegg, vice-presidente para os assuntos globais e comunicações da empresa.




Sem comentários:

Publicar um comentário