sábado, 4 de maio de 2019

Dispositivo permite recolher cobalto do mar para as baterias dos elétricos


Atualmente, a maioria das baterias para veículos elétricos é baseada em cobalto, um elemento proveniente de minas que frequentemente recorrem trabalho infantil e outras práticas antiéticas.
 Agora, uma equipe de engenheiros do MIT diz que encontrou uma alternativa, de acordo com a New Scientist, usando um aparelho com o formato de bola de praia pendurado em plataformas de petróleo oceânicas desativadas, é possível absorver cobalto suficiente para construir centenas de milhares de baterias para carros elétricos.


A pesquisa da equipa, publicada no periódico Renewable and Sustainable Energy Reviews , descreve como o mundo poderá enfrentar uma escassez de cobalto logo no início de 2020, um problema logístico que poderia prejudicar o emergente movimento de veículos elétricos.




Como há 70 vezes mais cobalto nos oceanos do que em terra, apenas 76 plataformas de petróleo do Golfo do México equipadas com dispositivos de absorção de cobalto poderiam absorver o suficiente para compensar um quarto do cobalto usado na fabricação de baterias em 2017, revela o estudo.
A nova técnica, embora cientificamente viável, tem ainda custos enormes para conseguir ser rentável a nível comercial, informa a New Scientist.
Mas pode ser possível reduzir os custos, com mais investigação e recorrendo a materiais reciclados que o poderia tornar a perspetiva financeiramente viável.

O conceito "carro do futuro" quase no presente da China


Bateria de metanol permite mesma autonomia dos carros a combustão


Grandes camiões da Nikola Motor movidos a hidrogénio


Fonte//Futurism




Sem comentários:

Publicar um comentário