quinta-feira, 25 de abril de 2019

Cerca de 1 milhão de espécies estão em risco de extinçao



Estamos acabando com a vida do nosso belo planeta.
Cerca de 1 milhão de espécies estão em risco de extinção devido à atividade humana, de acordo com um relatório da ONU que deve ser divulgado em 6 de maio

Estas são as conclusões preliminares do relatório que foram obtidas pela agência de notícias francesa AFP.

Photo Pixabay

Animação mostra como seria a Terra se todo o gelo derretesse



A atividade humana, como o consumo exagerado, a caça ilegal, a desflorestação, as emissões de combustíveis fósseis, estão levando os ecossistemas a um ponto sem retorno. Um quarto das espécies vegetais e animais conhecidas já estão ameaçadas, e a perda de espécies é dezenas a centenas de vezes maior do que tem sido, em média, nos últimos 10 milhões de anos, informou a AFP.
A natureza está cedendo sob tamanha pressão, perdendo ar respirável, água potável, florestas virgens, insetos polinizadores, populações de peixes e mangais que são um “muro” de proteção contra tempestades.


Revelado o único método capaz de evitar uma catástrofe climática


Além disso, três quartos das terras, quase metade dos ambientes marinhos e metade das vias navegáveis ​​interiores foram "severamente" alteradas pela atividade humana, de acordo com o relatório. Essas mudanças prejudicam os humanos, especialmente os grupos indígenas e aqueles que vivem nas comunidades mais pobres.



Cento e trinta nações reunir-se-ão em Paris em 29 de abril para examinar o relatório de 44 páginas que resume uma avaliação de 1.800 páginas de literatura científica conduzida pela ONU.
"A forma como produzimos nossos alimentos e energia está minando os serviços reguladores que recebemos da natureza", disse Robert Watson, presidente do grupo que compilou o relatório. O dano, ele disse, só pode ser reduzido com uma "mudança transformadora".

Água engarrafada com milhares de partículas de microplásticos

O aquecimento global vai permitir a expansão de doenças tropicais

A “vaquita” está mesmo em vias de extinção, vítima das redes de pesca



Fonte//LiveScience





Sem comentários:

Publicar um comentário