quinta-feira, 4 de abril de 2019

Agricultura e pecuária emitem mais gases efeito estufa que a produção de energia


Todo o mundo está preocupado com as emissões de gases de efeito estufa e fazem esforços para os reduzir, mas o ex-secretário de Energia, Steven Chu, alerta para o facto da agricultura e a pecuária estarem no topo da lista das emissões, particularmente a pecuária.
O físico vencedor do Prêmio Nobel pesquisou as indústrias mundiais mais poluentes nas emissões carbono numa palestra na Universidade de Chicago, indicou em primeiro lugar a produção de carne e laticínios.


Photo Pixabay

Os objetivos climáticos do Acordo de Paris



"Se o gado e as vacas leiteiras fossem um país, eles teriam mais emissões de gases do efeito estufa do que toda a UE", disse Chu, que recentemente assumiu a presidência da Associação Americana para o Avanço da Ciência.
Chu apontou as emissões de gases de efeito estufa na produção de carne e laticínios juntamente com outras práticas agrícolas, como o uso de fertilizantes, e mudanças no uso da terra, e desflorestação. Ele verificou que os gases de efeito estufa resultantes da agricultura são um problema maior do que as emissões na produção de energia.


Chu descreveu os efeitos antinaturais da agricultura industrial, o que ele chamou de "milho geneticamente modificado", que dedica toda a sua energia vital a produzir grãos gigantes, porcos que chegam aos 80 quilos em questão de meses, perus tão pesados ​​que não podem acasalar e têm ser inseminadas artificialmente, resumindo, um planeta dominado por animais modificados e criados e abatidos para alimentar humanos.
"Deixe-me dizer-lhe como a massa de carbono dos animais é distribuída", disse Chu, referindo-se a um estudo recente de biomassa na Terra. "Os seres humanos e os animais que este comem são 96% da massa de carbono (dos mamíferos) no mundo".

Podemos estar a retroceder climaticamente 50 milhões de anos

O aquecimento global leva cada vez mais a situações climáticas extremas

A extinção de espécies de insetos indica “colapso da natureza"


Fonte//Forbes


Sem comentários:

Publicar um comentário