quinta-feira, 21 de março de 2019

Seres humanos podem detetar o campo magnético da Terra


Os cientistas acreditam que os seres humanos já tiveram a capacidade de sentir o campo magnético da Terra e usá-lo para fins de navegação, assim como muitos outros seres vivos, mas acabou perdendo essa habilidade. Eles sugerem que é possível recuperar essa habilidade novamente, possivelmente com algum tipo de treino.


                                                                                            Photo Pixabay // Gerd Altmann


Mudança no campo magnético da Terra obriga a antecipar o Modelo Magnético Mundial




Um grupo de cientistas, incluindo um biólogo geofísico, um neurocientista cognitivo e um neuro-engenheiro, encontrou provas de que o cérebro humano é capaz de detetar o campo magnético da Terra, apesar dos resultados anteriores terem mostrado que nao. Os resultados de suas pesquisas foram publicados no Science Alert.

A descoberta mostra que os seres humanos não perderam completamente o mecanismo de se orientar usando o campo magnético, que muitos outros animais utilizam.

Os pesquisadores colocaram as pessoas participantes da experiencia numa simples cadeira montada dentro de uma gaiola de Faraday que filtra todos os campos magnéticos externos e então eles usaram as bobinas instaladas no interior para gerar um campo magnético controlado artificialmente dentro da gaiola. Embora os participantes do experiencia não tenham sentido nada, seus cérebros, ligados a uma máquina de eletroencefalografia (EEG), responderam claramente, quando os pesquisadores mudaram a direção do campo artificial.






O que é ainda mais intrigante, segundo os cientistas, é que os cérebros dos indivíduos filtraram informações "irrelevantes" sobre o campo. Por exemplo, quando o campo foi configurado de uma forma não natural para a magnetosfera da Terra, os cérebros não responderam. O mesmo aconteceu quando o campo foi configurado para representar o campo magnético do hemisfério sul, enquanto todos os sujeitos viviam no norte. O cérebro também ignora campos magnéticos que são pelo menos 25% mais fortes do que o gerado pela Terra, o que significa que vários dispositivos eletrônicos, gerando esses campos, não podem afetar as funções do cérebro.



Photo Mundo Educação

Anomalia do Atlântico Sul pode estar a enfraquecer o campo magnético da Terra



Os cientistas sugerem que o mecanismo por trás da capacidade de sentir os campos magnéticos está na capacidade recém-descoberta das células de formar nanocristais da magnetita mineral ferromagnética. Esses cristais, encontrados em muitos organismos, e também nos cérebros humanos, funcionam essencialmente como micro-ímãs e, embora a natureza de suas funções nas células tenha sido pouco estudada até agora, teoricamente ele pode ser usado para detetar a magnetosfera terrestre.







A descoberta surge em meio à notícia de que o ponto focal da esfera magnética da Terra, o pólo magnético está constantemente mudando do Ártico canadense para a Sibéria, na Rússia, a uma velocidade de cerca de 55 quilômetros por ano. Apesar do ritmo relativamente lento, os cientistas precisam atualizar os mapas da magnetosfera todos os anos, porque todas as pessoas e dispositivos que ainda usam bússolas dependem muito delas, e uma bussola aponta sempre o norte magnético.

Criação de campo magnético coloca-nos mais perto da fusão nuclear

Que irá acontecer-nos quando os polos magnéticos inverterem?

"Corpo espacial" escondido atrás do sol levanta a conspiração do Planeta X







Sem comentários:

Enviar um comentário