sexta-feira, 22 de março de 2019

Irlanda investe 31 milhões de euros em parque eólico flutuante

O Centro Europeu de Energia Marinha (EMEC) vai liderar um projeto de 31 milhões de euros para testar uma turbina eólica flutuante ao largo da costa oeste da Irlanda.
O projeto chamado AFLOWT (Aceleração da absorção do mercado da tecnologia eólica offshore flutuante) terá uma turbina eólica flutuante instalada no Atlantic Marine Energy Test Site (AMETS), uma instalação ao largo da costa oeste da Irlanda que é operada pela Autoridade de Energia Sustentável da Irlanda (SEAI).



Photo EMEC

Nova técnica transforma água do mar em hidrogênio


Espera-se que a torre eolica flutuante, desenvolvida pela empresa de energia italiana Saipem, entre em operação em 2022, depois de concluídos os requisitos de planeamento, licenciamento e ligação de cabo submarino estejam em funcionamento. O diretor de operações da divisão E & C Offshore da Saipem, Stefano Porcari, disse: “Este projeto representa para nós uma oportunidade única de provar que a nossa tecnologia de turbinas flutuantes em ambientes de condições atmosféricas severas funciona. Juntamente com nossos parceiros do consórcio, trabalharemos na viabilidade e no custo-efetividade deste projeto eólico offshore flutuante contribuindo para um ambiente de baixas emissões. ”





O projeto está a ser financiado através do programa Interreg North West Europe da Comissão Europeia, que foi criado para impulsionar a inovação no Noroeste da Europa.


Mitsubishi apresenta hibrido capaz de produzir energia para alimentar uma casa.


Ao testar no AMETS, a tecnologia desenvolvida no AFLOWT será comprovada nos ambientes offshore mais severos da Europa do Norte, preparando-a para aplicação em qualquer ambiente offshore de águas profundas em todo o mundo.
Comentando a decisão de localizar o projeto na costa oeste da Irlanda, o Ministro das Comunicações, Ação Climática e Meio Ambiente da Irlanda, Richard Bruton, disse:
Quase um terço da eletricidade da Irlanda, vem atualmente de fontes renováveis, sendo a eólica a que mais contribui. No entanto, precisamos intensificar o investimento nessa área e fazer mais. Congratulo-me com este projeto como uma excelente oportunidade para explorar ainda mais o potencial da energia eólica offshore”.
O líder do projeto EMEC, até agora tem se concentrado principalmente na energia das ondas  e marés.




Comentando sobre a mudança para energia eólica offshore,  o seu diretor comercial, Oliver Wragg, disse: “Nos últimos 15 anos, o EMEC implementou mais tecnologias de energia oceânica nos seus postos de testes no mar do que qualquer outra instalação no mundo. Desenvolvemos uma riqueza de conhecimento e especialização que agora podem ser transferidos para os testes e demonstrações de energia eólica offshore flutuante para ajudar a fazer a transição mais econômica e rápida”.

Os outros parceiros do projeto, onde se inclui a firma holandesa MARIN, que estará envolvida no projeto do sistema de ancoragem e na monitorização do protótipo e do Fraunhofer IWES, 



“Sol artificial” será concluído este ano na China

Bateria solar inovadora do MIT pode abastecer uma pequena cidade

Acordo do governo Britânico para aumentar a energia eólica offshore



Fonte//TheEngineer




Sem comentários:

Publicar um comentário