quinta-feira, 21 de março de 2019

Estudo revela que os Deuses são consequência das sociedades complexas



Uma equipe de pesquisa internacional, incluindo um membro do Complexity Science Hub Vienna, investigou o papel dos "grandes deuses" no aparecimento de sociedades complexas em larga escala. Os deuses são definidos como divindades moralizantes que punem as transgressões as regras instituídas. Ao contrário das teorias predominantes, a equipe descobriu que as crenças nos grandes deuses são uma consequência, não uma causa, da evolução de sociedades complexas. Os resultados são publicados na edição atual da revista Nature .


30 regiões rotuladas de acordo com evidências pré-coloniais de deuses moralizantes
Photo Phys


Rabinos vêm terremotos, tsunami e vulcões com sinais do apocalipse



Como base para as suas análises estatísticas, os pesquisadores usaram o Seshat Global History Databank, a mais abrangente coleção de dados históricos e pré-históricos. Atualmente, Seshat contém cerca de 300.000 registros sobre complexidade social, religião e outras características de 500 sociedades do passado, abrangendo 10.000 anos de história humana.
"Há séculos que se debate por que os humanos, ao contrário de outros animais, cooperam em grandes grupos de indivíduos geneticamente não relacionados", diz Peter Turchin, diretor e coautor da Seshat, da Universidade de Connecticut e da Complexity Science Hub Vienna. Fatores como agricultura, guerra ou religião têm sido tidas como as principais forças motrizes.





Uma teoria supõe que as crenças religiosas são fundamentais. De acordo com essa teoria, é mais provável que as pessoas cooperem de maneira justa se acreditarem em deuses que as castigarão se não o fizerem. "Para nossa surpresa, nossos dados contradizem fortemente esta hipótese", diz o principal autor, Harvey Whitehouse. "Em quase todas as regiões do mundo, das quais dispomos dados, os deuses moralizantes tendem a seguir, e não preceder, o aumento da complexidade social." Ainda mais, os rituais apareceram, em média, centenas de anos antes dos deuses que queriam a moralidade humana.

Seis explicações cientificas para a aparição de fantasmas


Tais rituais criam uma identidade coletiva e sentimentos que agem como cola social, fazendo com que as pessoas se comportem de forma mais cooperativa. "Os resultados sugerem que as identidades coletivas são mais importantes para facilitar a cooperação nas sociedades do que as crenças religiosas", diz Harvey Whitehouse.
Até há bem pouco tempo, era impossível distinguir as diferenças entre causa e efeito nas teorias sociais e na história, já que faltavam dados quantitativos padronizados de toda a história do mundo. Para resolver este problema, o cientista social Peter Turchin, juntamente com Harvey Whitehouse e Pieter François da Universidade de Oxford, fundaram a Seshat em 2011. O projeto multidisciplinar integra a experiência de historiadores, arqueólogos, antropólogos, cientistas sociais e analisadores de dados, num banco de dados de acesso aberto de última geração. 





Dezenas de especialistas em todo o mundo ajudaram a reunir dados detalhados sobre complexidade social e crenças religiosas e práticas de centenas de unidades políticas independentes, começando com os anatólicos neolíticos (hoje Turquia) em 9600 aC.
A complexidade de uma sociedade pode ser calculadas por características sociais como população, território e sofisticação de instituições governamentais e sistemas de informação. Os dados religiosos incluem a presença de crenças na aplicação sobrenatural de reciprocidade, justiça e lealdade, assim como a frequência e padronização de rituais religiosos.


Photo 

Porque acreditamos em deuses? Nasce connosco ou aprendemos a acreditar?


"A Seshat permite aos pesquisadores analisar centenas de variáveis ​​relacionadas com a complexidade social , religião, guerra, agricultura e outras características da cultura e da sociedade humana que variam ao longo do tempo e do espaço", explica Pieter François. "Agora que o banco de dados está pronto para análise, estamos prontos para testar uma longa lista de teorias sobre a história humana." Isso inclui teorias concorrentes como, porque razão os seres humanos evoluíram para cooperar em sociedades de grande escala, com milhões de pessoas.
"A Seshat é uma colaboração sem precedentes entre antropólogos, historiadores, arqueólogos, matemáticos, informáticos e cientistas evolucionistas", diz Patrick Savage, autor do artigo. 

Fundador do WikiLeaks revela ameaça á humanidade

Bíblia prova que cidade perdida de Atlântida está em Israel

As pirâmides do Egito ligadas á origem da civilização



Fonte//Phys







Sem comentários:

Publicar um comentário