terça-feira, 5 de março de 2019

'Elixir da Imortalidade' descoberto em túmulo chines com 2 mil anos


Arqueólogos da província de Henan, no centro da China, encontraram o famoso “elixir da imortalidade” descrito na antiga literatura taoísta, informou a agência de notícias Xinhua.
Cerca de 3,5 litros do líquido foram encontrados num pote de bronze encontrado num túmulo da dinastia Han ocidental na cidade de Luoyang em outubro passado.
 
Photo Xinhua/Li An


Bíblia prova que cidade perdida de Atlântida está em Israel



Os investigadores pensaram que se tratava de uma bebida licorosa pois emanava um forte odor de álcool. Análises de laboratório, porém, permitiram determinar que o líquido é feito de nitrato de potássio e alunita, que são ingredientes-chave de um elixir da vida descritos num antigo texto taoísta, segundo o principal arqueólogo do projeto de escavação, Pan Fusheng.




Esses elixires que supostamente davam a imortalidade ou longevidade preternatural eram comuns em muitas culturas antigas, e no caso da China, eram compostas de todos os tipos de ingredientes invulgares que normalmente não são consumidos, como no caso do ouro, jade, mercúrio, arsênico e muitos outros minerais venenosos.

Foi descoberto também um grande número de utensílios de jade, potes de barro pintados e artefactos de bronze na sepultura dos nobres, que mede cerca de 210 metros quadrados.
Muitos imperadores chineses perseguiram a vida eterna: Qin Shi Huang, o primeiro imperador de uma China unificada, estava tão desesperado nos seus esforços para enganar a morte que construiu um enorme mausoléu subterrâneo para os mundialmente famosos soldados de terracota, que deveriam protegê-lo na vida após a morte.
Curiosamente, o imperador morreu apenas 49 anos de idade, presumivelmentne envenenado por  beber um elixir alquímico.




Fonte//Gizmodo




Sem comentários:

Publicar um comentário