sábado, 23 de março de 2019

Bateria de metanol permite mesma autonomia dos carros a combustão

Startup China Airways anunciou uma parceria com a Blue World Technologies com o intuito de desenvolver uma célula de base de metanol para ser utilizada na próxima geração de seus carros elétricos.
Com esta nova tecnologia de célula de combustível de metanol, o ciclo de vida é igual á dos carros de combustão atuais.


Photo PortalEnergia

Mitsubishi apresenta hibrido capaz de produzir energia para alimentar uma casa.



A Blue World Technologis é uma empresa de  produção avançada de  de sistemas avançados e de sistemas de célula de metanol para uso em sistemas de mobilidade e de comunicação relacionados com os automóveis, sediada em Aalborg, Dinamarca.





Até agora, a performance das células de combustível de metanol era baixa, e limitadas ao tamanho pequeno como baterias para portáteis, telemóveis e carregadores de bateria para outros produtos eletrónicos.
Assim, desenvolver um sistema que funcione de alta temperatura, obrigou á conceção de uma nova membrana que funcione a uma temperatura superior a 130 ºC, e um novo catalisador anódico para a oxidação direta.
 
                                               Esquema de funcionamento de uma célula de combustível de metanol

O protótipo da Honda E, o compacto elétrico de tração traseira

                                 
                                     
Assim conseguiram um modelo elétrico Gumpert Airways Nathalie que consegue ter a mesma autonomia dos carros de combustão interna, até agora uma das grandes desvantagens dos elétricos em relação aos de combustão interna.
Por seu lado, Anders Korgaard, da Blue World Technologies,  diz que o combustível usado é o combustível disponível em todo o mundo através das infraestruturas já existentes. Basta ser processado pelo sistema e ser convertido em energia elétrica, sem emissão de poluentes para a atmosfera.





Além disso, o peso da célula de combustível do metanol é equivalente a uma bateria de lítio, e como tal não irá aumentar o peso final do carro elétrico, mas apenas aumentar a autonomia do modo significativo.
No passado a Ser Energia desenvolveu um sistema que utilizou no RG Nathalie, que chegou em 2021 como veículo exclusivo a rondar os 400 000 €. O RG Nathalie será o primeiro carro elétrico do mundo que usa o metanol para produzir a energia de necessita.
 
                                                                           Roland Gumpert – RG Nathalie

O futuro dos automóveis não será elétrico mas sim a hidrogénio

                       
                                                                           
As siglas RG são respondidas ao alemão e fundador da empresa Roland Gumper.
Tem um motor de 300 a 600 WK (400-800 CV) capaz de alcançar os 300 km / h, acelerando dos 0 aos 100 em 2,5 segundos. Tem como autonomia cerca de 540km (a uma média de 80 Km / h) com uma só carga. Para recarregar a bateria apenas precisa de 3 minutos.
No final de 2018, a Airways deu a conhecer a sua intenção de comercializar o seu primeiro modelo elétrico em U5, com um SUV de 460 km de autonomia que chegou ao mercado chinês em 2019 e à Europa em 2020, com um custo de 25 000 €.

ORA R1 o pequeno elétrico mais barato do mundo

Quantino, o automóvel movido a agua salgada, zero emissões CO2


Kalashnikov desenvolve novo super-carro elétrico para competir com aTesla






Sem comentários:

Publicar um comentário