quinta-feira, 7 de março de 2019

Acordo do governo Britânico para aumentar a energia eólica offshore


Um acordo confirmado entre o governo do Reino Unido e a indústria eólica garantirá que 30% da eletricidade seja proveniente da energia eólica offshore até 2030.
A medida ajudará o Reino Unido a atingir o objetivo de garantir quase toda a energia que consome seja produzida a partir de fontes com baixas emissões de carbono até 2030.É o último de uma série de acordos com setores da economia que provavelmente criarão empregos. Mas os ambientalistas perguntam de onde vêm os outros 70% da eletricidade limpa do Reino Unido.


Photo Boas Noticias

Dispositivo que pode fornecer energia limpa a milhares de lares utilizando energia das ondas


Isso porque, ao longo de vários anos, os economistas do governo previram uma política energética de três frentes até 2030.O governo projetou que 30% da eletricidade viria da energia eólica marítima, 30% da energia nuclear e 30% das centrais a gás equipadas com tecnologia para capturar suas emissões de carbono e enterrá-las. Agora está confirmado que o vento cumprirá sua parte até 2030.





Mas os planos para expandir a energia nuclear estão a enfraquecer, na verdade, o Reino Unido pode ficar mal, com apenas uma nova estação nuclear, em Hinkley, em vez das seis planeadas.
Quanto ao gás com captura de carbono, existe apenas uma única central planeada em escala comercial. O governo promete que vai cumprir as promessas de reduzir as emissões.
Seu compromisso é que a energia eólica marítima produza 30 gigawatts (GW) até 2030, criando milhares de chamados empregos no processo. Os jovens estão a ser atraídos por empregos no setor ambiental.
Mas os grupos verdes acreditam que é preciso muito mais, provavelmente o dobro disso (45GW).
John Sauven, diretor executivo da Greenpeace UK, disse: "Agora os planos do governo para uma frota de novos reatores nucleares entraram em colapso, deixando a Grã-Bretanha com uma grande lacuna de energia no futuro. Isso significa que a mais recente meta de energia offshore de 30 GW até 2030 é totalmente inadequada. O vento e a energia solar devem ser triplicados até 2030, sendo a energia eólica offshore a futura espinha dorsal do sistema energético do Reino Unido".

Foto BBC

Cientistas russos sugerem o uso de resíduos, como combustível



Rachel Reeves, presidente do comitê de negócios, energia e estratégia industrial (BEIS) disse: "As decisões de investimento em usinas nucleares como Moorside e Wylfa deixaram o Reino Unido com um enorme buraco na sua política energética. Dado que o carvão deve ficar de fora, e as perspetivas de  energia nuclear parecem incertas, é vital que o governo apresente um Plano B para suprir a lacuna de energia".






Existem alternativas?

Alguns analistas estão mais relaxados. Richard Black, da Unidade de Inteligência Energética e Climatização (ECIU), acredita que três novas centrais nucleares são prováveis ​ e acredita que o mercado resolverá o problema de 2030. Ele disse à BBC News: "A entrega de novas centrais nucleares em Hinkley, Sizewell e Bradwell, o que parece provável, satisfaria cerca de 20% da procura de eletricidade. O gás irá fornecer cerca de 15%, e haverá um pouco de biomassa no sistema também. Quanto ao resto, a nova eólica onshore não precisa de subsídio, e a energia eólica marítima e solar estão no ponto de não precisarem de subsídios. Portanto, é razoável esperar que todas as três sejam construídas através do mercado aberto”.




Desenvolvida célula de combustível de alta potência

Cientistas afirmam que só há uma saida: Energia Nuclear

Turbina das marés mais poderosa do mundo



Fonte//BBC



Sem comentários:

Publicar um comentário