sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Huble descobriu acidentalmente uma pequena galáxia



Cada vez mais conseguimos descobrir mais profundamente o espaço. Já conseguimos analisar objetos a mais de 13 mil milhões de anos-luz. Nós vimos a colisão de duas estrelas de nêutrons. Visualizamos explosões de rádio rápidas, e estamos prestes a ver, pela primeira vez, os eventos de um buraco negro. Mas há sempre algumas surpresas.



Photo
NASA, ESA e L. Bedin / Observatório Astronômico de Pádua, Itália


“Super-Terra' vizinha de nosso planeta pode ter vida



O Telescópio Espacial Hubble acidentalmente capturou uma galaxia desconhecida. A galáxia recém-descoberta foi batizada de Bedin I,  e é quase tão antiga quanto o Universo.
A missão era procurar as estrelas mais fracas na NGC 6752 , um aglomerado globular a 13.000 anos-luz de distância dentro da auréola da ViaLáctea, mas, a cerca de 30 milhões de anos-luz de distância, aproximadamente 2.300 vezes mais distantes do que a estrela que eles estavam pesquizando descobriram o Bedin I.

"Nós relatamos a descoberta de Bedin I, uma galáxia esferoidal anã muito fraca e muito próxima do núcleo da NGC 6752 para poder ter sido detetada em pesquisas anteriores", escreveram os pesquisadores em sua carta descrevendo a descoberta."Descobrimos este objeto por acaso com imagens do Telescópio Espacial Hubble extraordinariamente profundas obtidas com o propósito de investigar a sequência de arrefecimento da anã branca do aglomerado globular NGC 6752."
Bedin I é minúsculo e isolado e antigo. Tem apenas 3.000 anos-luz de diâmetro, em comparação com os 100.000 anos-luz da Via Láctea, e é aproximadamente 1.000 vezes mais fraca. Foi classificado como uma galáxia anã esferoidal.




Geralmente, as galáxias anãs esferoidais estão proximas de galáxias ou sistemas maiores, mas não de Bedin I. São 2 milhões de anos-luz a distancia da galáxia mais próxima que poderia ser considerada uma galáxia espiral hospedeira NGC 6744 .
Com base na luz que emite, a equipe foi capaz de determinar que a galáxia é muito baixa em metais. Como os elementos mais pesados, como os metais, foram criados em estrelas e propagados apenas pelo Universo após a morte dessas estrelas, isso indica que Bedin I tem uma população muito antiga de estrelas.


A equipe calculou que a galáxia tem 13 mil milhões de anos, soma apenas 0,8 mil milhões de anos, e seria tão antiga quanto o próprio Universo. O baixo teor de metal implica que Bedin I surgiu em uma explosão, e não teve nenhuma nova formação de estrelas desde então.
Isso significa que é uma espécie de "fóssil vivo" cósmico ou cápsula do tempo, preservando as condições do Universo primordial.
Dado que Bedin I está tão distante, tão fraco e obscurecido por estrelas mais próximas, é surpreendente que tenha sido descoberto pelo Telescópio Espacial Hubble, que está em operação há quase 30 anos. Esperamos que continue por muitos mais.




Sem comentários:

Publicar um comentário