segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

China constrói barco robot para estudar meterologia


 A China construiu o primeiro barco robótico e parcialmente submersível do mundo para o lançamento de foguetes de sondagem, uma tecnologia que ajudará os meteorologistas a estudar melhor a atmosfera sobre os oceanos da Terra.


Barco robot
Photo LiveScience


Aumento na força das ondas colocam em risco áreas costeiras



Embora os testes tenham sido realizados em 2016 e 2017, um artigo descrevendo os resultados dos primeiros testes com o sistema foi agora publicado. É difícil estudar a atmosfera que está sobre o mar, porque os cientistas só o podiam fazer de aviões ou navios, o que tornava as expedições muito dispendiosas.
É aí que entra o novo barco construído na China. Oficialmente classificado como um "veículo semi-submersível não-tripulado", o novo navio foi projetado para navegar com mau tempo, lançar um foguete e recolher dados cruciais sobre a atmosfera e o oceano.
Os foguetes sonda voam através de diferentes camadas da atmosfera, neste caso, transportando equipamentos meteorológicos a até 8 quilômetros de altura.






"O veículo semi-submersível não tripulado é uma plataforma ideal para a monitorização ambiental meteorológica marinha, e as informações atmosféricas fornecidas pelos foguetes lançados dessa plataforma podem melhorar a precisão das previsões meteorológicas numéricas no mar e nas zonas costeiras", disse o coautor Li, investigador do Instituto de Física Atmosférica da Academia Chinesa de Ciências.


O derreter dos glaciares provocam tsunamis assustadores


Agora, com esses testes iniciais do sistema completos, a equipe espera implantar uma rede desses barcos, particularmente para estudar tufões, o equivalente a furacões no oeste do Oceano Pacífico. Eles também esperam equipar os barcos com sensores de oceanografia mais avançados.
 Os lançamentos de testes são descritos em um artigopublicado em 31 de janeiro na revista Advances in Atmospheric Science.


Sem comentários:

Publicar um comentário