terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Os direitos e responsabilidades dos robots


O status legal dos androides com inteligência artificial capazes de se mover e falar tem sido um dos principais pontos de discórdia entre os criadores de robótica, acadêmicos, legisladores e especialistas em ética nos últimos anos.

Photo Youtube


Veja Tambem Primeiro robot sexual americano começa a ser entregue aos compradores



A Comissão de Assuntos Jurídicos do Parlamento da UE foi a primeira a propor a classificação de robôs autônomos sofisticados como "pessoas eletrônicas" em maio de 2016 que podem ter "direitos e obrigações específicas, incluindo a de reparar qualquer dano que possam causar e aplicar personalidade eletrônica a casos onde os robôs tomam decisões autônomas inteligentes ou interagem com terceiros independentemente ".
Desde a publicação do relatório preliminar, tem havido muita discussão sobre as questões relacionadas com a responsabilidade dos robôs.








Falando com o Daily Star Online, o Dr. Oliver Bendel, professor de sistemas de informação da Universidade de Ciências Aplicadas e Artes, disse que não há necessidade de conceder ás "pessoas eletrônicas", direitos morais ou qualquer status pessoal devido à falta de fundamentos filosóficos ou éticos.
 Esses direitos só fazem sentido quando se pode sentir ou sofrer, se houver uma consciência ou uma vontade de viver. Se um dia os robôs puderem sentir ou sofrer, se tiverem uma consciência ou vontade de viver, devem receber direitos. No momento atual não. Poderíamos, na melhor das hipóteses, desenvolver "ciborgues invertidos", isto é, deixar células cerebrais e nervosas crescerem nas estruturas técnicas de um robô. Tais ciborgues poderiam sentir algo.

Veja Tambem Robô humanoide da Boston Dynamics salta degraus enormes


Jordi Vallverdú, filósofo da computação e cientista, por sua vez, disse que não ser importante dar direitos humanos aos robôs por enquanto.
Há pouco mais de um ano, um robô da AI chamado Sophia tornou-se o primeiro cyborg do mundo a receber cidadania da Arábia Saudita.




Fonte// SputnikNews




Sem comentários:

Publicar um comentário