domingo, 6 de janeiro de 2019

Cientistas russos estudam a construção um motor foguete de plasma


Cientistas  acreditam na tecnologia de foguetes de plasma como o futuro para viagens rápidas a Marte e para além.
 Físicos do Instituto Budker de Física Nuclear da filial siberiana da Academia Russa de Ciências em Novosibirsk estão preparando outra onda de experiencias para aproveitar o poder do plasma termonuclear para uso num motor de foguete, disse o vice-diretor do instituto, Alexander Ivanov.

Photo Youtube
As experiencias, que começarão no final deste mês, vão dar seguimento a testes anteriores bem-sucedidos que confirmaram a viabilidade de usar plasma numa instalação experimental usando parâmetros adequados para um motor de foguete.
No final de 2018, o instituto começou a trabalhar numa instalação única, conhecida como SMOLA, a sigla em russo para "Armadilha Magnética Aberta em Espiral", tendo já servido no estudo da criação de um reator de fusão. A "armadilha de plasma" permitiu que os cientistas trabalhassem no confinamento do plasma num sistema magnético linear, o que, espera-se, pode eventualmente ajudar a levar à criação do protótipo do motor de plasma adequado para viagens espaciais.






As primeiras experiências mostraram que o efeito existe. A máquina espacial funciona e os meios para reduzir as perdas de plasma também. Atualmente, o equipamento padrão está instalado. Estamos nos preparando para começar as experiencias em janeiro de 2019, que devem demonstrar plenamente suas capacidades.
De acordo com o físico, a configuração atual serve como um demonstrador de tecnologia, com os cientistas alcançando uma temperatura de 100.000 graus para formar o plasma, e atingindo uma densidade suficiente para fornecer dados adequados para futuros trabalhos sobre a criação de um foguete baseado em plasma.

Photo Youtube

Em outubro, a Energomash, uma empresa russa de engenharia de energia envolvida na produção de motores de foguete, anunciou planos para construir um motor de foguete de plasma sem elétrodo de alta potência. O Instituto Kurchatov da Rússia e o Chemical Chemicals Design Bureau informaram que estavam trabalhando num motor baseado em plasma para viagens espaciais em 2016 .


Outros países, incluindo os Estados Unidos, estão envolvidos em experiencias semelhantes. Em 2015, a NASA adjudicou à empresa privada de tecnologia de foguetes de plasma Ad Astra um contrato para a criação do "Foguete de Magnetoplasma de Impulso Específico Variável" (VASIMR), com os motores propostos operando aquecendo o gás pressurizado a temperaturas extremamente altas usando ondas de rádio e mantendo plasma sob controlo usando campos magnéticos.
Motores de foguete baseados em plasma são uma das várias opções propostas para a exploração humana de outros planetas em nosso sistema solar e além dele.




Fonte//SputnikNews




Sem comentários:

Publicar um comentário