sábado, 28 de julho de 2018

A teoria final de Stephen Hawking sobre o multiverso foi publicada

Stephen Hawking escreveu um último brilhante artigo antes de morrer:

A sua teoria final sobre a origem do universo, em coautoria com Thomas Hertog.

Agora, o artigo foi finalmente publicado na revista científica Journal of High Energy Physics, e você pode lê-lo gratuitamente em inglês aqui.

Em resumo, Hawking e Hertog afirmam que o universo é muito menos complexo do que sugerem as teorias atuais do multiverso.

Sua hipótese baseia-se em torno de um conceito chamado inflação eterna, introduzido pela primeira vez em 1979, e pode tornar mais fácil para os cientistas confirmarem na prática se existem universos múltiplos ou não.

A atual teoria da inflação eterna e do multiverso


Após o Big Bang, o universo experimentou um período de inflação exponencial. Depois desse primeiro momento, essa velocidade de inflação diminuiu e sua energia converteu-se em matéria e radiação.

No entanto, de acordo com a teoria da inflação eterna, algumas bolhas de espaço pararam de inflacionar ou desaceleraram em uma trajetória de parada, criando um pequeno ponto morto fractal no espaço estático.

Enquanto isso, em outras bolhas do espaço, por causa dos efeitos quânticos, a inflação nunca parou, levando a um número infinito de multiversos.

Tudo o que vemos em nosso universo observável, segundo essa teoria, está contido em apenas uma dessas bolhas, na qual a inflação parou, permitindo a formação de estrelas e galáxias. As leis de física e química podem diferir de um universo-bolha para o outro, que juntos formariam um multiverso.

As mudanças de Hawking e Hertog


No novo artigo, Hawking explica que nunca foi um fã do multiverso. Isso porque, se a escala de diferentes universos no multiverso é grande ou infinita, a teoria não pode ser testada.

Até mesmo um dos desenvolvedores originais do modelo da inflação eterna tem o repudiado nos últimos anos: o físico Paul Steinhardt, da Universidade de Princeton. Ele declarou que a teoria tomou o problema que deveria resolver, ou seja, tornar o universo consistente com as nossas observações.

No texto, Hawking e Hertog afirmam que o modelo atual da inflação eterna está errado. Isso ocorre porque a teoria da relatividade geral de Einstein se degrada em escalas quânticas.

“O problema com a inflação eterna é que ela assume um universo de fundo que evolui de acordo com a teoria da relatividade geral de Einstein e trata os efeitos quânticos como pequenas flutuações em torno disso. No entanto, a dinâmica da inflação eterna acaba com a separação entre a física clássica e a física quântica. Como consequência, a teoria de Einstein se desfaz”, explica Hertog.

Teoria das cordas


A nova hipótese da dupla é baseada na teoria das cordas, que tenta conciliar a relatividade geral com a teoria quântica substituindo as partículas pontuais da física por minúsculas cordas vibrantes unidimensionais.

Na teoria das cordas, o universo é como um holograma, no qual a realidade física em espaços 3D pode ser reduzida matematicamente a projeções 2D em suas superfícies.

Os físicos então desenvolveram uma variação do princípio holográfico que projeta a dimensão do tempo na inflação eterna, o que lhes permite descrever o conceito sem depender da relatividade geral.

Isso permitiu que Hawking e Hertog reduzissem matematicamente a inflação eterna a um estado intemporal em uma superfície espacial no início do universo – o limiar da inflação eterna, onde nossa noção familiar de tempo deixa de ter algum significado.

Multiverso: podemos ter encontrado a primeira evidência de que estamos em um

Para testar


Em 1983, Hawking e outro pesquisador, o físico James Hartle, propuseram o que é conhecido como a “teoria sem fronteira” ou o “estado de Hartle-Hawking”: antes do Big Bang, havia espaço, mas não tempo. Logo, o universo expandiu-se a partir de um único ponto, mas não tem uma fronteira.

De acordo com a nova teoria, o universo primitivo tinha uma fronteira, e é isso que consente que a dupla faça previsões mais confiáveis sobre sua estrutura.

“Nós prevemos que nosso universo, nas maiores escalas, é razoavelmente suave e globalmente finito. Portanto, não é uma estrutura fractal”, disse Hawking.

Esse resultado não refuta a existência de multiversos, mas os reduz a um alcance muito menor – o que significa que a teoria pode ser mais fácil de ser testada no futuro, se o trabalho for confirmado por outros físicos.

Hertog planeja testá-lo procurando por ondas gravitacionais que poderiam ter sido geradas pela inflação eterna. Essas ondas são muito grandes para serem detectadas pelos nossos instrumentos atuais, como o LIGO, mas futuros interferômetros, como o LISA baseado no espaço, podem ter uma chance de revelá-las.

Fonte//Hypescience

Arqueólogos descobrem biblioteca antiga na Alemanha

Um grupo de arqueólogos descobriu acidentalmente em Colónia, na Alemanha, as ruínas da mais antiga biblioteca do país. O prédio terá sido construído pelos Romanos no século II. 

 

Segundo o diretor do departamento de conservação de monumentos de Colónia, Marcus Trier, as ruínas são do século II. Especialistas estimam que a biblioteca foi construída pelos romanos entre 150 e 200 depois de Cristo, a sudoeste do fórum romano que existia na cidade alemã.

A descoberta das ruínas ocorreu por acaso há um ano, durante as obras para a construção de um centro da Igreja Luterana na cidade. Desde então, especialistas têm vindo a trabalhar na escavação.

“Chegamos a um resultado que não podíamos determinar no início”, destacou Trier ao jornal local Kölner Stadt-Anzeiger, acrescentando que inicialmente os especialistas acreditavam que as ruínas seriam de um espaço público de reuniões.



Ao analisar a estrutura e compará-la com outras construções antigas em Éfeso, Alexandria ou Roma, os pesquisadores tiveram certeza de que ali existia uma biblioteca.

Os arqueólogos acreditam que o prédio tinha dois andares e uma altura entre sete a nove metros. Além do muro, as ruínas conservam ainda dois pequenos pedaços do chão da biblioteca.

Depois da descoberta, a Igreja Luterana mudou os planos da construção. As ruínas devem agora ser integradas ao centro religioso e, no futuro, serão abertas a visitantes.


Fonte //ZAP 

sexta-feira, 27 de julho de 2018

7 Sintomas de problemas no fígado: fique atento!

Os sintomas de problemas do fígado podem variar consoante a doença hepática presente, no entanto existem sintomas que indicam a presença de um problema

A doença hepática (do fígado) é um termo amplo que abrange todos os problemas potenciais que fazem com que o fígado não cumpra as suas funções. Normalmente, é necessário que mais de 75% ou três quartos do tecido hepático sejam afetados para que ocorra uma diminuição da sua função. No entanto, os sintomas de problemas no fígado surgem geralmente mais cedo, portanto é importante conhecê-los e estar atento.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Pais de criança morta em tiroteio escrevem carta aberta a Zuckerberg

Depois da morte do filho de seis anos no massacre de Sandy Hook, nos EUA, Lenny e Veronique são vítimas de ataques e ameaças constantes nas redes sociais, sobretudo no Facebook.

 

Noah Pozner tinha seis anos quando, no dia 14 de dezembro de 2012, foi uma das 20 crianças assassinadas no massacre de Sandy Hook, uma escola primária no estado de Connecticut, nos EUA.

 

O atacante de 20 anos, Adam Lanza, que se suicidou no fim do tiroteio, entrou no estabelecimento de ensino e disparou indiscriminadamente, tendo também vitimado seis adultos. Antes, tinha assassinado a mãe em casa.

 

Numa carta aberta dirigida ao fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, divulgada pelo The Guardian esta quarta-feira, os pais desta criança explicam que, desde aquele dia, estão numa “batalha constante com os provedores das redes sociais (…) para que nos protejam do assédio e das ameaças”.

 

 

“Quase imediatamente depois do massacre destas 20 crianças pequenas, todas com menos de sete anos, e de seis professores e funcionários da escola, os ataques começaram. Grupos de conspiração e provocadores anti-Governo começaram a alegar no Facebook que o massacre era uma farsa, que as vítimas eram ‘atores de crise’ e que o público deveria agir para ‘descobrir a verdade’ sobre as nossas famílias. Estas alegações e apelos à ação espalharam-se como um incêndio e, apesar dos nossos alertas, foram protegidos pelo Facebook”, acusam Lenny Pozner e Veronique de la Rosa.

 

“Embora os termos que usa, como ‘notícias falsas’ ou ‘grupos de conspiração marginais’, pareçam relativamente inócuos, deixe-me dar-lhes algumas dicas sobre os efeitos de permitir que a sua plataforma continue a ser usada como um instrumento para disseminar o ódio. Sofremos assédio, abuso e ameaças de morte online, por telefone e pessoalmente”, pode ler-se no jornal britânico.

 

Facebook tem uma “tremenda responsabilidade”


“A fim de nos proteger e aos nossos filhos, tivemos de nos mudar várias vezes. Estes grupos usam as redes sociais, incluindo o Facebook, para nos ‘caçar’, partilhando a nossa morada e vídeos da nossa casa. Estamos a viver escondidos. Estamos longe de estar sozinhos, já que muitas outras famílias que perderam entes queridos em tiroteios e outras tragédias relatam o mesmo tormento contínuo”.

 

“As nossas famílias estão em perigo como resultado direto de centenas de milhares de pessoas que veem e acreditam nas mentiras e discurso de ódio, que o senhor decidiu que deveria ser protegido. O que torna toda a situação ainda mais horrível é que tivemos que travar uma batalha quase inconcebível com o Facebook para nos fornecer as proteções mais básicas para remover o conteúdo mais ofensivo e incendiário”.

 

“Na sua recente entrevista, insinuou que o Facebook agiria mais rapidamente contra o assédio direcionado às vítimas de Sandy Hook do que os negadores do Holocausto, mas essa não é a nossa experiência. Na verdade, sugeriu que esse tipo de conteúdo continuaria a ser protegido e que a sua ideia de combater conteúdos incendiários era fornecer contrapontos para empurrar as ‘notícias falsas’ para baixo nos resultados de pesquisa. É óbvio que isso não nos garante qualquer proteção“.

 

Por isso, os pais de Noah deixam duas sugestões a Zuckerberg: que trate as vítimas de tiroteios em massa e outras tragédias como um grupo protegido, para que os ataques contra estas pessoas sejam especificamente contra a política do Facebook, e que forneça às pessoas afetadas acesso à equipa da rede social para que removam de forma imediata as publicações de ódio e assédio.

 

“O Facebook desempenha um papel gigantesco ao expor as massas à informação. Esse nível de poder vem com a tremenda responsabilidade de garantir que a sua plataforma não é usada para prejudicar os outros ou contribuir para a proliferação do ódio. No entanto, parece que, sob o disfarce da liberdade de expressão, o senhor está preparado para dar licença a pessoas que têm como único objetivo fazer exatamente isso”.

 

“Depois de sentir tanta esperança após a sua promessa no Senado de tornar o Facebook um lugar mais seguro para a interação social, estamos mais uma vez dececionados com os seus recentes comentários a apoiar um porto seguro para negadores do Holocausto e grupos de ódio que atacam vítimas da tragédia”.

 

“O nosso filho Noah já não tem voz e nunca mais vai poder viver a sua vida. A sua ausência é sentida todos os dias. Mas somos incapazes de nos lamentar pelo nosso bebé ou seguir em frente com as nossas vidas porque o senhor, indiscutivelmente o homem mais poderoso do planeta, considerou que os ataques contra nós são irrelevantes, que prestar assistência na remoção de ameaças é muito pesado e que as nossas vidas são menos importantes do que fornecer um refúgio seguro para o ódio”.

Fonte//Zap

Cientistas descobrem agua em Marte

Pesquisadores italianos anunciaram nesta quarta-feira (25) que há indícios de presença de água líquida em Marte. Segundo dados coletados por um radar da Agência Especial Europeia (ESA), há um "reservatório" de água líquida repousando abaixo de camadas de gelo e poeira na região polar sul do planeta vermelho.

 

A descoberta levanta a possibilidade de que se encontre vida no planeta, já que a água é essencial para a existência de organismos vivos. Os cientistas tentam há muito tempo provar a existência de água líquida em Marte. O estudo de pesquisadores, a maioria ligada ao Instituto Nacional de Astrofísica da Itália, foi publicado nesta quarta na revista "Science".

 

"A certeza vai existir só quando formos lá em Marte com uma sonda perfurar e medir", disse Galante. O trabalho foi feito com a ajuda do radar da sonda Mars Express, lançada em 2003, que mediu a quantidade de água na geleira. Os dados foram coletados entre maio de 2012 e dezembro de 2015.

 

 

As próximas missões até o planeta vermelho, como a Mars 2020, deverão fazer perfurações, mas não conseguirão chegar a esse novo reservatório descoberto – os instrumentos conseguem perfurar apenas alguns metros, e seria necessário chegar mais fundo.

 

Profundidade incerta


Outra questão é que o estudo não determina a profundidade exata do reservatório. Isso significa que os cientistas não puderam especificar se é um lago subterrâneo ou  algo parecido com um aquífero ou apenas uma camada de lodo.

 

"Em comparação com os lagos terrestres, é um lago pequeno com seus 20 quilômetros de diâmetro. Mas não conseguimos saber a profundidade porque a água atenua o sinal do radar", disse o astrônomo autor do estudo, Roberto Orosei, em entrevista para a BBC.

 

"Mesmo no caso mais pessimista, portanto, acredito que o volume de água deve ser de várias centenas de milhões de metros cúbicos."

 

 

 

Esse lago, ou reservatório, é muito parecido com um outro encontrado na Antártica, o Vostok. Ele é estudado há anos por cientistas para ser uma referência – eles querem entender se é possível a proliferação de vida no local.

 

Além disso, ainda em 2015, a Nasa apontou que o "Planeta Vermelho", por sua distância do Sol, seria muito gelado para conseguir manter água na forma líquida na superfície, mas os sais no solo poderiam diminuir seu ponto de congelamento, permitindo a formação de camadas de água bem salgada – como uma salmoura.

 

O que é importante entender é que esses sais na água de Marte, os percloratos, podem não ser os melhores para proliferação de organismos vivos e são tóxicos. Pesquisadores mostram, no entanto, que há alguns tipos de vida que poderiam viver nessa salmoura do planeta vermelho.

 

"Há muito tempo já dizia que a superfície de Marte seria inabitável por causa desse sal. Mas desde 2017 estão saindo trabalhos mostrando micro-organismos na Terra que são resistentes. Quem sabe eles também estão em Marte?", completou.

 

Fonte//ZAP

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Encontrados descendentes vikings enterrados há 800 anos na Sicília

Um grupo de arqueólogos descobriu recentemente túmulos medievais com cerca de 800 anos na Sicília e apontam que há uma forte possibilidade dos esqueletos encontrados pertencerem a descendentes de vikings.

A pesquisa, liderada por investigadores polacos, encontrou acidentalmente dez sepulturas perto da igreja medieval de San Michele del Golfo, perto de Palermo, na Sicília, nas quais encontraram restos de esqueletos de descendentes vikings.

Segundo os investigadores, os indivíduos encontrados eram oriundos da Normandia. Os normandos – povo medieval descendente na sua grande maioria de vikings – surgiram depois de os nórdicos se estabeleceram no norte da França, onde conquistaram terras e criaram o seu próprio ducado.

“Alguns dos mortos enterrados no cemitério eram, sem dúvida, membros da elite ou do clero, como indica a forma dos túmulos”, disse Sławomir Moździoch, arqueólogo no Instituto de Arqueologia e Etnologia da Academia Polaca de Ciências em Varsóvia e líder da escavação.

Após examinar os restos mortais das 10 pessoas encontradas, os investigadores concluíram que três das sepulturas pertenciam a mulheres e a duas crianças. As análises aos restos mortais ainda não estão concluídas e não foram determinadas as causas das mortes.

Não foram encontrados quaisquer bens enterrados junto dos esqueletos, mas uma análise de um antropólogo ajudou os arqueólogos a determinar que os mortos eram provavelmente oriundos da Europa Ocidental. Ou seja, muito provavelmente eram normandos do norte de França.

“De acordo com o antropólogo local, a altura e estrutura maciça dos esqueletos aqui encontrados apontam para esse origem”, explicou Moździoch.

Fonte//ZAP.Aeiou.pt

Especialistas Apostam na Continuação do Bitcoin ema Alta

O bitcoin chegou aos US$ 8.500 às 20:00 de terça-feira (24), acumulando uma valorização superior a 40% nos últimos 30 dias. No Brasil, de acordo com o IPB, a cotação do bitcoin chegou a R$ 32.000.

Na manhã desta quarta (25), o preço encontra-se na casa dos US$ 8.200 e R$ 30.650.

Conforme publicado no Portal do Bitcoin, algumas coisas estão impulsionando a alta no mercado. Para começar, a SEC está avaliando mais alguns pedidos de ETF de Bitcoin e, segundo fontes do ICO Journal, há grandes chances de aprovação. A SEC, porém, adiou as decisões até setembro.

Além disso, a notícia de que a BlackRock, a maior administradora de ativos do mundo, está interessada em bitcoin e nas criptomoedas, ainda está alimentando o mercado, com os investidores esperando que uma onda de dinheiro institucional impulsione a demanda por criptoativos.

O que estão falando?


Em entrevista à CBNC, o trader de criptomoedas Brian Kelly disse que a moeda digital provavelmente continuará se valorizando. Embora o bitcoin não esteja nem perto de suas altas de dezembro, onde chegou próximo dos US$ 20.000 (R$ 70.000 no Brasil), a criptomoeda aumentou de forma constante nas últimas semanas.

Tom Lee, Diretor e chefe de pesquisa da Fundstrat, disse que o movimento de alta de 20% desta semana sinaliza um retorno do sentimento otimista.

 

Apesar de US$ 8.000 ter sido um ponto importante, a alta da semana passada acima de US$ 7.800 foi ainda mais significativa, segundo o analista sênior da eToro, Mati Greenspan. ”O próximo nível de resistência é de US $ 10.000”, continuou. No twitter, ele comentou que podemos estar à beira da maior alta da história do bitcoin.

Também no Twitter, Erik Voorhees, CEO da Coinbase e CZ, CEO da Binance, se mostraram empolgados com o BTC. Voorhees comemorou a chegada aos US$ 8.000 enquanto CZ questionou seus seguidores se eles ”estavam a bordo”.

 

US$ 800 bilhões em 12 meses


Mike Novogratz, bilionário e fundador da Galaxy Digital, acredita que a capitalização de mercado das criptomoedas não chegará a US$ 800 bilhões até o final deste ano, como previa anteriormente. No entanto, o investidor afirma que fará isso nos próximos 12 meses, o que significaria um aumento de 2,6 vezes.

 

 

 

Para atrair mais investidores institucionais, Novogratz enfatizou mais uma vez a importância de serviços de custódia. Uma vez que esses investidores vejam nomes importantes como o Goldman Sachs, eles serão instantaneamente convencidos. No entanto, a Coinbase Custody e a BitGo, apesar de terem um futuro de sucesso, não conseguem fazer este trabalho na opinião do Novogratz.

 

Ainda comentando sobre um futuro movimento maior dos players institucionais, esse disse que é real, mas ainda não chegou lá, acrescentando que os fundos de pensão modernos virão primeiro e depois todos os outros seguirão.

 

Fonte// Portal do bitcoin

Cientistas norte-americanos cataclismos no Leste da Rússia

Cientistas norte-americanos preveem fortes cataclismos no Leste da Rússia

Um grupo de cientistas norte-americanos, após analisar dados de satélite  de observação ao longo de 38 anos, estabeleceu que o aquecimento global provocado pelo homem pode levar a um aumento da frequência e da força dos desastres naturais nas zonas orientais da Rússia e na Mongólia.

A pesquisa foi publicada na revista Science.

Os autores do novo trabalho estudaram vários modelos teóricos que descrevem o estado do clima antes e depois da Revolução Industrial. Os pesquisadores revelaram padrões característicos de flutuações sazonais de temperatura. Em seguida, eles compararam esses padrões com os dados das medições de temperatura na troposfera de 1979 a 2016, efetuadas por satélites, tendo estudado a diferença entre as temperaturas mínima e máxima de cada ano.

Em resultado desta análise, os cientistas descobriram que o maior contraste entre o inverno e o verão acontece nas latitudes médias do Hemisfério Norte. Essa diferença é muito menor nos trópicos e as flutuações mais modestas são características da Antártida. Além disso, a diferença entre as temperaturas de inverno e de verão em algumas áreas do Hemisfério Norte foi significativamente maior do que os modelos previam. As diferenças mais fortes foram notadas na Mongólia e nas regiões orientais da Rússia.

Segundo os cientistas, um aquecimento tão acentuado não pode ser explicado por fatores naturais. A diferença entre o verão e o inverno está aumentando devido às atividades humanas. Eles acreditam que esses processos podem levar a um aumento da frequência e da força dos desastres naturais.

A partir do início do século XX, a temperatura média do ar aumentou em 0,74 graus Celsius, cerca de dois terços do aumento ocorreu depois de 1980. Cada uma das últimas três décadas foi mais quente do que a anterior, a temperatura do ar foi maior do que em qualquer década desde 1850. Baseado nos modelos climáticos, a magnitude provável do aumento da temperatura durante o século XXI será de 1,1 a 2,9 graus Celsius em caso de emissões mínimas para a atmosfera e 2,4-6,4 Celsius em caso de emissões máximas.

Fonte// Sputniknews

terça-feira, 24 de julho de 2018

A circulação dos oceanos diminuiu drasticamente e nao se deve ásalterações climáticas


O aquecimento global não é a causa da desaceleração em um enorme padrão de circulação no Oceano Atlântico, que é, na verdade, parte de um ciclo regular de décadas que afetará as temperaturas nas próximas décadas, de acordo com um novo estudo.

Os oceanógrafos estão preocupados com a estabilidade a longo prazo da circulação do Oceano Atlântico, e estudos anteriores mostram que ela diminuiu drasticamente na última década.

"Os cientistas esperavam que a circulação do Atlântico diminuísse a longo prazo devido aquecimento global, mas só há medições corretas desde abril de 2004. E o declínio medido desde então é 10 vezes maior do que o esperado", diz o autor . Kit Tung, professor de matemática aplicada na Universidade de Washington com uma nomeação adjunta em ciências atmosféricas.

"Muitos se concentraram no fato de que está declinando muito rapidamente e que, se a tendência continuar, irá além de um ponto de inflexão, trazendo uma catástrofe como a era do gelo. Acontece que nada disso acontecerá no próximo ano." A resposta rápida pode, em vez disso, ser parte de um ciclo natural e há sinais de que o declínio já está terminando ".

Um ciclo gigante


Os resultados têm implicações para o aquecimento da superfície. A velocidade da corrente determina quanto calor superficial é transferido para o oceano mais profundo, e uma circulação mais rápida enviaria mais calor para o Atlântico profundo. Se a corrente desacelera, então armazenará menos calor, e a Terra provavelmente verá a temperatura do ar subir mais rapidamente  desde 2000.

"Os modelos climáticos globais podem projetar o que acontecerá em longo prazo se o dióxido de carbono aumentar em certa quantidade, mas atualmente não têm capacidade de prever o aquecimento da superfície nas próximas décadas, o que requer o conhecimento do quanto o excesso de calor é retido por gases de efeito estufa está sendo absorvido pelos oceanos ", diz Tung.

A Atlantic Meridional Overturning Circulation, ou AMOC, é uma correia transportadora que leva a água da superfície para o norte no Atlântico; de lá, a água salgada mais pesada afunda e retorna em profundidade dos mares de Labrador e Nordic, perto do Pólo Norte, todo o caminho para o sul até o Oceano Antártico.

A maioria das pessoas está interessada no que acontece na superfície - a Corrente do Golfo e as correntes atlânticas associadas levam água mais quente para o norte, trazendo temperaturas amenas para a Europa Ocidental.

Mas o novo artigo argumenta que o passo mais importante, do ponto de vista climático, é o que acontece a seguir. No Atlântico Norte, a água mais salgada dos trópicos afunda mais de  um quilômetro (1.500 metros). Ao fazê-lo, ele reduz o calor na superfície.

Mudanças na força do AMOC afetam a quantidade de calor que sai da nossa atmosfera. O novo estudo usa uma combinação de dados de flutuadores do Argo, medições de temperatura baseadas em navios, registros de maré, imagens de satélite da altura da superfície do mar que podem mostrar salpicos de água quente e rastreamento recente de alta tecnologia do próprio AMOC para sugerir que a força flutua como parte de um ciclo de 60 a 70 anos .

Quando a corrente é mais rápida, mais da água tropical quente e salgada viaja para o Atlântico Norte. Com o passar dos anos, mais geleiras derretem e, eventualmente, a água doce torna a água da superfície mais leve e menos propensa a afundar, diminuindo a correnteza.

Quando o AMOC está em uma fase lenta, o Atlântico Norte se torna mais frio, o derretimento do gelo desacelera e, eventualmente, a fonte de água doce seca e a água mais pesada e mais salgada pode afundar novamente, o que acelera a circulação.

O novo estudo argumenta que essa corrente não está em colapso, mas está apenas transitando de sua fase rápida para a fase mais lenta - e isso tem implicações para o aquecimento na superfície.
Olhando para o passado para prever o futuro

De 1975 a 1998, o AMOC estava em uma fase lenta. À medida que os gases do efeito estufa se acumulavam na atmosfera, a Terra experimentava um aquecimento distinto na superfície.

De cerca de 2000 até agora, o AMOC está em sua fase mais rápida, e o aumento do calor que despencou no Atlântico Norte tem removido o excesso de calor da superfície da Terra e armazenado no oceano.

"Temos cerca de um ciclo de observações em profundidade, por isso não sabemos se é periódico, mas com base nos fenômenos da superfície achamos que é muito provável que seja periódico", diz Tung.

O novo artigo apóia a pesquisa anterior dos autores mostrando que, desde 2000, durante o qual as observações mostram uma desaceleração no aquecimento da superfície, o calor se acumulou nas profundezas do Oceano Atlântico. O novo estudo mostra que este é o mesmo período em que a circulação do Atlântico estava em sua fase rápida.

Medições recentes de densidade no Mar de Labrador sugerem que o ciclo está começando a mudar, diz Tung.

Isso significa que nos próximos anos o AMOC não estará mais enviando mais do excesso de calor aprisionado pelos gases do efeito estufa no Atlântico Norte.

"A boa notícia é que os indicadores mostram que essa desaceleração da circulação do Atlântico está terminando, e por isso não devemos ficar alarmados com o fato de que essa corrente entrará em colapso tão cedo", diz Tung. "A má notícia é que as temperaturas da superfície devem começar a subir mais rapidamente nas próximas décadas".

Fonte//Siencealert

Podemos estar à beira da maior alta da história do Bitcoin

Bitcoin continua a inspirar otimismo ao quebrar os níveis de resistência e caminhar a passos largos de volta aos US$ 8.000.

 

O preço do BTC subiu US$ 500 desde o início da noite de domingo (22), alcançando a marca de US$ 7.820 às quatros horas da manhã, chegando assim na maior cotação dos últimos 60 dias.

 

Mati Greenspan?, um analista sênior da eToro, acredita que o Bitcoin pode estar à beira da maior alta da sua história.

 

 

Um de seus seguidores perguntou qual era a diferença do momento atual para fevereiro/abril, quando o bitcoin subiu 100% após ter caído até os US$ 6.000 e voltou a cair novamente em seguida.

 

Ele, então, respondeu que por enquanto não são momentos similares e que se o bitcoin voltar a engrenar uma alta, esses três últimos meses ficarão pequenos no gráfico.

 

Quando outro seguidor perguntou em que ele se baseava para dizer isso, ele respondeu que a conscientização sobre bitcoin atingiu muita gente, mas a adoção está atrasada.

 

Em relação aos clientes da sua empresa eToro, a maior rede de negociação social e investimento do mundo, Greenspan disse que a maioria estão e sempre estiveram predominantemente operando comprados, ou seja, apostando numa alta a médio/longo prazo.

 

Fonte//Portal do Bitcoin

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Trump avisa Irão: “NUNCA, NUNCA MAIS voltem a ameaçar os Estados Unidos”

Continua a troca acesa de ameaças entre os presidentes dos Estados Unidos e do Irão. Em letras maiúsculas e tom de fúria, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou o Twitter para responder ao presidente iraniano Hassan Rohani e deixar claro que não irá tolerar ameaças.

“Para o Presidente Rohani: Nunca mais volte a ameaçar os EUA, ou vai sofrer as consequências como poucos na história sofreram. Já não somos um país que apoia as suas palavras dementes de violência e morte. Tenha cuidado”, escreveu Donald Trump, em caps lock.

Este domingo, o presidente iraniano, Hassan Rohani, advertiu os Estados Unidos para não “brincarem com a cauda do leão“, assegurando que um conflito com Teerão será “a mãe de todas as guerras“. As declarações de Rohani foram feitas poucas horas antes de um esperado discurso do secretário de Estado norte-americano sobre o Irão.

“Declaram a guerra e depois falam da vontade de apoiar o povo iraniano”, disse Rohani dirigindo-se ao presidente dos EUA, Donald Trump, numa reunião de diplomatas iranianos em Teerão.

“Não pode provocar o povo contra a segurança e os seus próprios interesses”, disse o presidente. Rohani voltou a avisar que o Irão poderá fechar o estreito estratégico de Ormuz, que controla o Golfo e por onde passa cerca de 30% do petróleo mundial que é transportado por via marítima.

“Nós somos a garantia de segurança desse estreito desde sempre, não brinque com a cauda do leão, vai arrepender-se”, avisou, acrescentando: “A paz com o Irão será a mãe das pazes e a guerra com o Irão representará a mãe das guerras”.

“Sempre que a Europa procurou um acordo connosco a Casa Branca semeou discórdia”, disse Rhoani, acrescentando: “Não devemos pensar que a Casa Branca ficará para sempre neste nível de oposição ao direito internacional, contra o mundo muçulmano”.

EUA sem medo de aplicar sanções

Também em resposta a Rohani, Mike Pompeo, secretário de Estado norte-americanom disse que os Estados Unidos da América “não têm medo” de impor sanções “ao mais alto nível” ao regime de Teerão.

Num discurso na diáspora iraniana na Califórnia, Pompeo confirmou que Washington quer que todos os países reduzam as suas importações de petróleo iraniano “perto de zero” até 4 de novembro, caso contrário enfrentarão sanções dos EUA.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou a saída dos EUA do acordo internacional de 2015, que foi assinado com o objetivo de impedir que o Irão adquirisse armas nucleares, e o regresso das sanções norte-americanas.

Enquanto muitos dos aliados dos Estados Unidos tentam salvar o acordo nuclear iraniano, o chefe da diplomacia norte-americana reiterou o seu desejo de que “o regime iraniano mude significativamente o seu comportamento, tanto dentro do Irão como no cenário mundial”, recusando-se a distinguir entre radicais e moderados.

Mike Pompeo anunciou ainda o fortalecimento da campanha de propaganda norte-americana com o lançamento de um canal multimédia (televisão, rádio, redes digitais e sociais) 24 horas por dia em farsi, “para que os iranianos comuns, no Irão e em todo o mundo, saibam que a América está do seu lado”, bem como medidas “para ajudar os iranianos a contornar a censura na Internet”.

Fonte//ZAP

Sexo faz bem ao corpo e á mente

Que sexo é bom quase todo mundo sabe. No entanto, além de prazerosa, a atividade também pode ter efeitos positivos para o corpo e a mente. De acordo com a terapeuta transpessoal e especialista em sexualidade humana, Antonieta Mazon, fazer sexo garante bem-estar e oferece diversos benefícios, como melhora do sono e da aparência, combate ao estresse, diminuição da fome e até proteção contra gripes.



“Durante a atividade sexual, um grande potencial de energia é acionado, gerando uma descarga energética capaz de relaxar e diminuir a ansiedade. O ato libera hormônios que promovem sensações prazerosas, podendo gerar expressões faciais e corporais que traduzem estados de felicidade e alegria. Os cabelos ficam, em geral, um pouco mais volumosos. É por isso que quando estão excitados ou depois que fazem sexo, os parceiros costumam apresentar aspecto mais saudável e vivaz, contribuindo para que ambos se sintam mais belos e atraentes”, esclarece Antonieta.

Há pesquisas em andamento que relacionam a maior frequência sexual à redução de infartos, à diminuição de derrames e à menor incidência de câncer de próstata. O sexo também pode diminuir a fome, pois durante o ato ocorre a liberação de um tipo de anfetamina que regula o apetite.

“Os benefícios não param por aí. Quando somos estimulados pela dose adequada de atividade sexual, o sistema imunológico pode funcionar melhor e proteger o organismo de forma mais eficaz contra gripes e resfriados. Existem, também, indicativos de que a cicatrização é mais rápida para quem pratica sexo regularmente”, informa a especialista.

SEXO TAMBÉM É BEM-ESTAR

Durante a excitação, a mulher produz o estrogênio e o homem, a testosterona, hormônios que preparam os parceiros para o ato sexual. Diante desta inundação de substâncias químicas, a circulação sanguínea aumenta, o coração acelera, os pêlos eriçam, a pele enrubesce e a região genital se dilata, devido à grande concentração de sangue.

Nessa hora, outra substância começa a ser liberada no organismo: a endorfina, responsável pela sensação de prazer e satisfação. A liberação máxima desta substância ocorre durante o orgasmo, momento no qual todas as células nervosas do cérebro “descarregam” seu conteúdo bioquímico no corpo, promovendo um estado de relaxamento físico total.

“Este prazer gerado na atividade sexual é também fundamental para o bem-estar psíquico, pois é capaz de aliviar tensões, combater o estresse, aumentar a autoestima, o ânimo e o bom humor. O sexo deixa os amantes num estado de felicidade consigo mesmo e com os outros, promovendo um relaxamento e uma sensação fantasticamente prazerosa”, comemora a terapeuta.

VIDA LONGA AOS PRATICANTES

Uma vida sexual ativa também pode aumentar a longevidade. O sexo aumenta a expectativa de vida das pessoas na medida em que oferece benefícios à saúde e promove a tonificação de vários músculos do corpo humano, como pélvis, abdômen, braços e pernas.

“Durante a relação sexual, há uma diminuição da pressão sanguínea corporal e um aumento da circulação, combatendo assim o mau colesterol. Deste modo, pessoas que praticam sexo mais frequentemente têm, como dito anteriormente, menos chances de sofrer um infarto ou um derrame. A atividade ainda traz relaxamento, combate o estresse da vida moderna e, consequentemente, promove melhor qualidade da saúde integral. Isso tudo aumenta a expectativa de vida da pessoa”, conclui a terapeuta.

No entanto, é importante derrubar o mito de que a frequência das relações sexuais é um dado importante para uma boa saúde sexual. A especialista defende que a quantidade de sexo depende exclusivamente do desejo do casal. Segundo ela, quando há um descompasso entre o desejo de ambos, é preciso investir no diálogo, para que todos fiquem felizes e satisfeitos.

SEXO CASUAL TAMBÉM FAZ BEM

Um recente estudo da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, revelou que jovens que costumam praticar sexo casual apresentam o mesmo nível de autoestima, satisfação emocional e bem-estar que o grupo de pessoas que mantêm relações estáveis. Para a especialista em sexualidade humana, este resultado derruba o mito de que o sexo casual atua negativamente na saúde emocional de quem o pratica.

“No entanto, é preciso ressaltar que este tipo de atividade sexual, além de aumentar os riscos para a saúde física – com a possibilidade de adquirir doenças sexualmente transmissíveis, gravidez indesejada e violência e abuso sexual – pode causar uma avaria emocional, caso o praticante não tenha o equilíbrio emocional necessário para evitar um envolvimento afetivo, talvez não correspondido. Nesse tipo de sexo, em que os parceiros mal se conhecem, é preciso ser emocionalmente equilibrado para degustar a experiência na medida certa. Caso contrário, uma ressaca emocional com o gosto amargo da solidão será inevitável”, pondera Antonieta.

MULHERES E SEXO

Ao que tudo indica, os benefícios do sexo podem ser sentidos ainda com mais intensidade entre as praticantes do sexo feminino. Na mulher, a atividade pode diminuir a TPM e as cólicas menstruais. Isso acontece por que durante o ato sexual o corpo libera endorfinas e serotonina, além de aumentar a circulação sanguínea na região do períneo, por meio dos exercícios físicos vigorosos do sexo. Tudo isso gera uma sensação posterior de relaxamento, prazer e bem-estar.

“Na fase da excitação, o corpo da mulher libera um chamado estrogênio, que faz bem para a pele, tornando-a mais viçosa e menos flácida, além de melhorar o aspecto do cabelo, que fica mais brilhante”, analisa Antonieta.

Conheça o livro Para que o Amor Aconteça e entenda como determinadas atitudes influenciam sua vida amorosa.

Fonte//Personare

domingo, 22 de julho de 2018

Eclipse lunar mais longo do século XXI poderá ser visto em 27 de Julho


Os eclipses lunares acontecem quando a Lua é oculta pela sombra da Terra e pode ser visto em qualquer lugar do mundo

via Eclipse lunar mais longo do século XXI poderá ser visto em 27 de julho — EXAME

Rapper americano é sequestrado, tem casa invadida e fica hospitalizado


Segundo informações do site TMZ, especializado em celebridades, o rapper Tekashi69, também conhecido como 6ix9ine, foi vítima de um sequestro relâmpago neste domingo 22. Ele havia saido da gravação de um clipe no Brooklyn, em Nova York, e voltava de carro para casa quando foi abordado por quatro homens em um outro veículo. Três deles saíram…

via Rapper americano é sequestrado, tem casa invadida e fica hospitalizado — VEJA.com

Aston Martin apresenta o seu carro voador de luxo

https://youtu.be/hmFYOQnsd4s

A Aston Martin apresentou recentemente o Volante Vision Concept, uma aeronave arrojada e futurista destinada a transportar passageiros em voos de médias e longas distâncias.

A Aston Martin pôs em cima da mesa as suas soluções em termos de carros elétricos, mas acabou por ir um pouco mais além. Apresentado no Farnborough Air Show, o Volante Vision Concept supera todas as expectativas: a criação é um veículo voador destinado a transportar passageiros em voos de médias e longas distâncias.

O Volante Vision Concept é um veículo híbrido que promove viagens luxuosas com redução de emissões, destaca o Observador. De acordo com a empresa, o objetivo passa por fazer a viagem Londres-Paris em apenas uma hora, viajando a uma velocidade entre os 320 os 400 km/h.

Mas este avião não é exclusivo da Aston Martin. Esta invenção, que para já ainda não passa de um estudo, é o resultado da parceria entre a empresa Aston Martin, a Universidade de Cranfield, a Cranfield Aerospace Solutions e a Rolls-Royce.

“Estamos muito satisfeitos por fazer parte deste projeto emocionante que mostra a inovação britânica e a maneira como Cranfield trabalha e apoia os negócios. O Volante Vision Concept exemplifica as capacidades únicas de Cranfield na aviação digital, sistemas autónomos e eletrificação da indústria aeroespacial, sendo um excelente exemplo de como a universidade combina pesquisa de ponta, rigor académico e aplicação no mundo real”, disse o professor Iain Gray, da Universidade de Cranfield.

A parceria da Rolls na componente mecânica é uma das chaves do sucesso esperado deste projeto. As três hélices direcionáveis vão permitir que este carro voador descole e aterre na vertical, levando a bordo três passageiros num verdadeiro voo de luxo.

Apesar de as imagens do projeto serem apenas um modelo concetual desenvolvido por Marek Reichman, designer de automóveis da Aston Martin, a empresa mostrou sérias intenções de criar um protótipo para testes já em 2020, oferecendo assim uma proposta viável de um “híbrido urbano para locomoção entre cidades”.

“Precisamos de procurar soluções alternativas para reduzir o congestionamento, reduzir a poluição e melhorar a mobilidade. As viagens aéreas serão cruciais no futuro e o Volante Vision Concept é a melhor solução de mobilidade de luxo”, refere Andy Palmer, CEO da Aston

Fonte// ZAP

Passados 82 anos o resort de Adolf Hitler vai finalmente abrir portas a turistas

https://youtu.be/jzZhStFAT0M

Um gigantesco resort de férias idealizado por Adolf Hitler vai, finalmente, abrir portas a turistas, depois de anos de abandono e de reconstrução. Mas não sem alguma polémica.

Com 4,5 quilómetros de comprimento, este complexo de vários blocos de seis andares, situados ao longo da praia à beira do Mar Báltico, na ilha alemã de Rugel, é o sexto edifício mais comprimido do mundo.

O projecto nasceu no final da década de 1930, idealizado por Hitler no âmbito do programa “Força Através da Alegria” que visava manter os soldados alemães preparados para a guerra e os trabalhadores revitalizados para produzirem mais nos seus empregos.

Com capacidade para receber 20 mil pessoas em 8 mil quartos, o objectivo do projecto inicial era acolher alemães a preços acessíveis para alimentar o ideal Nazi. Mas o complexo nunca acolheu qualquer hóspede.

As primeiras obras decorreram entre 1936 e 1939, mas foram travadas pelo estalar da Segunda Guerra Mundial. Durante o conflito, o local ainda serviu de refúgio para quem fugiu dos bombardeamentos em cidades alemãs.

Mas, finalmente, 82 anos depois das primeiras obras, o complexo turístico vai abrir portas, depois de ter sido transformado no luxuoso resort Prora.

Nesta semana, as autoridades locais atribuíram ao local o estatuto de resort, dando, assim, a oportunidade de cobrança de taxas de impostos de férias de 2,85 euros por dia, reporta o jornal The Times.

Depois de umas oito décadas desde o início da construção, em 2013, a empresa alemã Metropole Marketing comprou a propriedade, transformando as estruturas de betão em centenas de apartamentos luxuosos disponíveis para arrendamento e para compra, e construindo também um hotel, albergues para jovens e um spa, bem como lojas caras e restaurantes modernos.

Mas a abertura do espaço não passa sem polémica, com algumas preocupações quanto à possibilidade de o resort poder servir como “boa publicidade” para o movimento nazi, apurou o jornal Daily Star. E teme-se que o campo de férias sonhado por Hitler possa contribuir para o crescimento da extrema-direita na Alemanha.

Fonte//  ZAP