quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Sabia que os cristãos já proibiram o Natal?



A maioria dos americanos não está ciente de que o Natal foi retirado na América durante várias décadas pelos próprios cristãos, por exemplo, em Boston de 1659 a 1681.
A guerra original contra o Natal foi travada durante os séculos XVI e XVII pelos puritanos, ou cristãos protestantes que acreditavam que as pessoas precisavam de regras rígidas para serem religiosos, e que qualquer tipo de festa ou animação era pecado.

Photo Depositphotod


Veja Tambem Porque celebramos o Natal a 25 de Dezembro



Assim, os próprios seguidores de Jesus Cristo, tanto na América como na Inglaterra, ajudaram a aprovar leis que tornaram ilegal celebrar o Natal. Eles acreditavam que era um insulto a Deus honrar um dia que também era um dia de festividades pagãs antes de Cristo.
Todas as atividades de Natal, incluindo danças, decorações, jogos, canções natalicias, e sobretudo de beber, foram proibidas pelo Parlamento dominado pelos puritanos da Inglaterra, em 1644, seguidos pela Nova Inglaterra.







Em Boston, o Natal foi proibido, e ate mesmo em Plymouth, era considerado crime. As árvores de Natal e as decorações foram considerados como rituais pagãos, e os puritanos proibiram todos os alimentos tradicionais da época, como tortas e pudins. As leis puritanas exigiam que as lojas e empresas permanecessem abertas durante todo o dia de Natal, e os crentes caminhavam pelas ruas na véspera do evento gritando “Não ao Natal!”.

 Veja Tambem lEm busca da arca perdida. Será que existe mesmo?


Na Inglaterra, a proibição do Natal foi levantada em 1660, com a subida ao trono do rei Carlos II. No entanto, a presença puritana permaneceu na Nova Inglaterra, nos EUA, e o Natal não só passou a ser feriado em 1856, continuando mesmo assim, algumas escolas a dar aulas a 25 de dezembro até 1870.
Embora a mudança tenha sido lenta, o Natal começou a ser festejado gradualmente até atingir o nível que conhecemos.





Sem comentários:

Publicar um comentário