domingo, 4 de novembro de 2018

Um paciente foi ao hospital para cirurgia á coluna e saiu sem rim

Em Abril de 2016, Maureen Pacheco foi informada de que um cirurgião iria fundir um par de vértebras na parte inferior das costas tudo por causa da dor que sentia supostamente devido uma lesão sofrida num acidente de carro no ano anterior.

 No entanto, quando acordou da cirurgia no Wellington Regional Medical Center, em Wellington, na Flórida, ela descobriu que o cirurgião havia feito outra coisa, de acordo com os registros do tribunal. Durante a cirurgia da coluna vertebral, o cirurgião, Ramon Vazquez, notou algo na pélvis de Pacheco, e suspeitando que era um tumor cancerígeno cortou, de acordo com uma queixa administrativa do Departamento de Saúde da Flórida.

Veja Tambem Desenvolvidos adesivos que podem salvar vidas e controlar estado de saúde

Acontece que não era um tumor. Era um dos rins de Pacheco. "Como se pode imaginar, quando alguém faz uma cirurgia nas costas, nunca esperaria quando acordasse, que um de seus rins foi retirado desnecessariamente", disse Donald Ward, advogado de Pacheco. ao Palm Beach Post.

 Pacheco processou o cirurgião no ano passado, alegando que Vazquez e outros eram medicamente negligentes. O rim, no lado esquerdo de Pacheco, era um rim pélvico, o que significa que, durante o desenvolvimento fetal, não ascendeu à sua posição normal na região abdominal superior.

 O processo foi resolvido em Setembro por "um valor nominal", disse o advogado do cirurgião, Michael Mittelmark, ao The Post. No entanto, Mittelmark disse que seu cliente não admitiu responsabilidade e " acha que não fez nada errado". Vazquez é um cirurgião de cirurgia geral em West Palm Beach, e de acordo com o Conselho de Medicina do estado, ele tem uma licença ativa sem registo de processos disciplinares.

 "A Wellington Regional tomou todas as medidas necessárias e apropriadas para rever as circunstâncias deste infeliz incidente. Nos mais de 30 anos de história do Wellington Regional Medical Center, nunca havia ocorrido um incidente desta natureza. Antes da cirurgia da coluna vertebral, Pacheco fez dois testes de ressonância magnética (MRI), que revelaram que ela tinha um rim localizado em sua região pélvica, de acordo com o processo.

Veja Tambem Adoçantes e suplementos desportivos prejudiciais á saúde e ao meio ambiente

Como resultado, de acordo com o processo, Pacheco sofreu "lesões corporais, dor e sofrimento resultantes, incapacidade, desfiguração", bem como "angústia mental". Em Dezembro, o Departamento de Saúde da Flórida apresentou uma denúncia contra Vazquez ao Conselho de Medicina da Flórida, afirmando que o rim pélvico de Pacheco não tinha nada a ver com a condição com o tratamento á coluna, o que significa que era "um procedimento clinicamente desnecessário". O departamento de saúde solicitou que o conselho considerasse suspender ou revogar a licença médica do cirurgião ou colocá-lo em liberdade condicional.

 Fonte //SienceAlert  

Veja Tambem Trabalhar em demasia equivale e conduzir bêbado.

Sem comentários:

Enviar um comentário