quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Restos de bomba nazi descoberta no Reino Unido

Arqueólogos descobriram os restos de uma “bomba voadora” V1 nazi que caiu e explodiu numa floresta em 1944 a caminho do alvo em Londres. Na escavação, foram encontradas algumas peças da bomba V1 nazi, não tripulada, antecessora dos atuais mísseis.


 Nos últimos meses da 2ª Grande Guerra a Alemanha nazi lançou milhares de bombas, entre as quais constava as bombas voadoras V1 . Colin Welch, líder do projeto, disse à Live Science que quase 10 mil bombas voadoras V1 foram lançadas, principalmente das rampas de lançamento localizadas na Holanda em 1944 e 1945.

Veja Tambem Franceses ‘pescam’ bomba da 2ª Guerra Mundial em risco de explodir

A bomba encontrada na floresta perto de Ashford, em Kent, caiu antes de chegar a Londres, abatida a 6 de agosto de 1944 por Józef Donocik, um piloto polaco. Nesta altura os pilotos de aviões caças especializaram-se em abater bombas voadoras, tendo destruído muitas V1
 

O regulador de combustível da V1 (esquerda) e um servomotor do sistema de orientação com parte de uma mangueira de ar comprimido conectada.[/caption] No entanto, grande parte delas atingiram os alvos, causando milhares de vítimas no Reino Unido em poucos meses, isto além dos danos que causaram.
 As bombas voadoras V1 tinham uma envergadura de cinco metros e transportavam uma carga explosiva com 850 quilogramas, de acordo com o Museu do Império e da Guerra, em Londres. As V1 eram lançadas de uma rampa e alcançavam uma velocidade máxima de 640 quilómetros por hora.

 Colin Welch explicou que o ruido causado pelas bombas era aterrorizante especialmente no sudoeste da Inglaterra, especialmente se o som deixasse de se ouvir. Significava que a arma em queda sobre o alvo. As bombas V1 tinham um sistema de orientação que usava ar comprimido e tinha um alcance de 240 quilómetros, o suficiente para atingir sudeste da Inglaterra,

Veja Tambem Passados 82 anos o resort de Adolf Hitler vai finalmente abrir portas a turistas

Hitler usou as V1 como retaliação aos bombardeamentos devastadores em cidades alemãs como Hamburgo, onde morreram mais de 35 mil pessoas em poucos dias em 1943. Colin Welch e o irmão Sean gerem o Research Resource, uma equipa de arqueólogos privados que realizou vários projetos relacionados com a guerra em Kent.

 Para o arqueólogo, o maior desafio das recentes escavações de restos de bombas V1 é a conservação das partes metálicas.
A maior parte do aço usado na construção está corroído devido ao contacto com o solo húmido e ácido, com exceção a algumas partes de alumínio. Welch e o irmão pretendem criar um museu online com as suas escavações e  armas virtuais, que incluiria modelos 3D dos artefactos recuperados


   Fonte//LivesCiense

Sem comentários:

Publicar um comentário