segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Erupção vulcânica criou um incrível jardim de vidro

Na Fossa das Marianas, o local mais profundo dos oceanos, no Pacífico, uma equipa de cientistas descobriu um incrível “jardim” de vidro vulcânico. Fruto da erupção vulcânica mais profunda até agora conhecida na Terra, o fenómeno  ocorreu em 2015, a cerca de 4 a 4,5 quilómetros de profundidade, relata a revista Frontiers in Earth Science.





Localizada quase na extremidade da Fossa das Marianas, este lugar tem uma extensão superior a sete quilómetros. De acordo com os investigadores, o vidro formou-se em consequência da imediata solidificação do magma ao encontrar a água gelada .

Veja Tambem Polvo raro filmado na costa da California

Passado algum tempo, a lava arrefece e as correntes trazem várias espécies marinhas que colonizam a zona, potenciando o aparecimento de novas espécies, explicou a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (NOOA)
 

Os vulcões submarinos podem ajudar-nos a perceber como funcionam os vulcões terrestres e qual a sua influencia na composição química dos oceanos, e de que maneira podem afetar significativamente os ecossistemas locais”, revelou o geólogo Bill Chadwick, da NOAA. Esta é uma oportunidade rara de estudar erupções vulcânicas submarinas.

Veja Tambem National Geographic ‘drena os oceanos’ para desvendar desaparecimento do voo MH370

Normalmente as erupções submarinas só são descobertas muito depois de terem ocorrido. A primeira descida à Fossa das Marianas, a 11.034 metros de profundidade, foi realizada em 1965 pelo norte-americano Don Walsh e pelo suíço Jacques Piccard no batiscafo Trieste.

 Em 2012, o diretor de cinema James Cameron repetiu a façanha, tornando-se a primeira pessoa a chegar aquela profundidade sozinha.


 Fonte//ScienceAlert

Sem comentários:

Publicar um comentário