terça-feira, 2 de outubro de 2018

O seu carro não está a fazer-lhe escutas, mas pode estar a “controla-lo”

Num estudo recente, a General Motors usou Wi-Fi no carro para obter dados de escuta de rádio e informações sobre hábitos de condução

Já sentiu que estava sendo observado? Se conduz um veículo moderno da General Motors, você pode estar certo (com a sua autorização, claro).




De acordo com  um relatório da Detroit Free Press , a GM recentemente conduziu um estudo durante três meses sobre os hábitos de escuta de rádio dos clientes usando veículos equipados com um sistema Wi-Fi no carro.

Com que objetivo?

Para verificar se existe uma relação entre o que os condutores ouvem e o que compram. Tudo isto para aumentar a eficácia da publicidade de rádio, é claro.

O estudo, implementado no ano passado, observou o comportamento de 90.000 condutores de carros como, Chevrolet ,  Buick ,  Cadillac  e  GMC que concordaram em participar nas  áreas metropolitanas de Los Angeles e Chicago.

Veja TambemVolkswagen ID Buzz a Van elétrica num futuro próximo


Saejin Park, diretor de transformação digital global da GM, disse à Free Press que combinando áudio de AM, FM e rádio via satélite com os padrões de condução das pessoas, eles podem estudar a relação entre os hábitos de ouvir rádio e o comportamento do consumidor.

"Mesmo neste mundo de entretenimento bruto de estações de rádio, diferentes tipos de pessoas ouvem estações diferentes em diferentes tipos de veículos", disse Park. "E pode-se testar isso enviando-lhes diferentes tipos de publicidade para ver algum tipo de comportamento nos padrões (de audição)."

O porta-voz da GM, Jim Cain, disse sobre o estudo: "Os rádios ligados geram dados que permitem que mais mercados de rádio sejam medidos e fornecem outras informações valiosas".

A GM garante de que os dados recolhidos para obter essas informações serão mantidos anónimos.

De acordo com Cain, "Estes dados são então agregados  e representariam os resultados num total e não incluiriam nenhuma informação pessoalmente identificável".

Cain também disse que os clientes que usam serviços devem primeiro optar por aceitar os termos de uso da GM e sua declaração de privacidade


A especificidade dos dados recolhidos pela GM é impressionante, mas pode ser desconcertante para alguns. Embora os resultados do estudo ainda não sejam conclusivos, a GM acredita que essa informação é um barómetro para analisar para o comportamento do consumidor melhor  do que métodos como pesquisas. Afinal, por que perguntar o que o seu cliente gosta quando você  sabe do  que ele gosta?

Para a General Motors, o benefício de recolher esses dados é claro. Os anunciantes pagarão muito dinheiro para distribuir anúncios de rádio direccionados aos milhões de veículos da GM na estrada. No entanto, a vantagem para o consumidor é discutível.

A questão é, onde está o limite? Que outros dados os fabricantes ou terceiros podem monitorizar e vender para a quem pagar mais?



Fonte//Autoweek



Sem comentários:

Publicar um comentário