quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Hackers norte-coreanos ganham milhões roubando bancos

Um novo relatório de uma empresa norte-americana de segurança com fins lucrativos afirma que hackers norte-coreanos têm roubado bancos por todo o mundo. Os relatórios indicam que centenas de milhões de dólares foram roubados pelos hackers.



A FireEye, com sede na Virgínia, afirmou num post no seu blog nesta quarta-feira, que um grupo apelidado de APT38 "é responsável por conduzir crimes financeiros em nome do regime norte-coreano, roubando milhões de dólares dos bancos em todo o mundo".

Nos últimos quatro anos, o grupo realizou operações contra alvos em 11 países e 16 organizações e tentou roubar mais de US $ 1,1 bilhão a instituições financeiras, diz o relatório. O grupo atua muito lentamente e pode estar dentro de uma rede alvo por longos períodos sem ser notado, de acordo com a FireEye, o APT38 permaneceu, em média, dentro de uma rede de vítimas aproximadamente 155 dias.

"Este é um grupo muito organizado, destruirá as redes e roubará milhões e milhões de dólares", disse um executivo sênior da empresa na quarta-feira.

Segundo a FireEye. o grupo é  motivado financeiramente, embora também se envolva em missões de recolha e reconhecimento de informações cibernéticas. Notavelmente, a FireEye acusou a APT38 de penetrar em servidores SWIFT como parte de um sofisticado esquema de lavagem de dinheiro.

Veja Tambem Mais da metade dos empregos de hoje serão robotizados até 2025


A FireEye afirmou em Agosto que centenas de contas do Facebook e do Twitter com origem no Irão"  foram banidas pelas plataformas. Semanas depois, o Departamento de Estado dos EUA citou as contas banidas numa declaração sobre "A ameaça do Irão à segurança cibernética".

O desenvolvedor da Web, Chris Garaffa, disse que é preciso ser cauteloso antes de classificar as alegações de hackers como fatos consensuais. "Ao contrário da maioria dos meios de comunicação dos EUA e do Ocidente que publicam imediatamente as conclusões do relatório sem esperar as análises, os analistas de segurança levarm algum tempo para investigar o relatório da FireEye versus outras informações para chegar a uma conclusão",

Embora a FireEye seja uma organização bem-sucedida, é uma empresa privada baseada nos EUA que atende principalmente agências e empresas do governo norte-americano e sua liderança tem ligações com o Pentágono e as indústrias de defesa, o que não a torna necessariamente imparcial, e isso precisa ser levado em consideração.

A In-Q-Tel  da CIA e a FireEye assinaram um acordo de desenvolvimento estratégico de investimento e tecnologia em 2009, embora a FireEye tenha afirmado em 2014 que nunca ter sido uma empresa da CIA".

Garaffa também diz que há um elemento de "hipocrisia ocidental" em jogo, já que "o governo dos EUA e seus aliados lançam regularmente ataques cibernéticos a outros países ...

Quando os EUA declararam uma guerra cibernética contra o resto do mundo, faz todo o  sentido os seus alvos se defenderem e retaliarem. "



Fonte//SputnikNews

Sem comentários:

Publicar um comentário