quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Gerador de vapor solar produz água limpa com quase 100% de eficiência

A água cobre a maior parte do globo, mas muitas regiões ainda sofrem com a falta de água potável. Se os cientistas pudessem transformar de forma eficiente e sustentável a água do mar em água potável, esse problema seria em parte revolvido. Inspirados pelo origami, a arte japonesa de dobrar papel, os cientistas desenvolveram um gerador de vapor solar que se aproxima de 100% de eficiência para a produção de água potável.


Veja Tambem Cientistas descobrem meio de transformar ar em gasolina, mas a custos muito elevados


Esses geradores de vapor solar produzem água potável convertendo a energia do sol em calor, que por sua vez evapora a água do mar, separando-a por este processo de sais e outras impurezas. Então, o vapor é captado e condensado transformando-se em água potável. Os geradores de vapor solares existentes contêm um material foto térmico plano, que produz calor a partir da luz absorvida.

Embora esses dispositivos sejam bastante eficientes, ainda perdem muita energia pela dissipação de calor do material para no ar. Peng Wang e seus colegas questionaram-se se poderiam melhorar a eficiência energética projetando uma material foto térmico tridimensional. Basearam a sua estrutura na dobra de origami Miura, que consiste em paralelogramos interligados que formam altos e baixos dentro da estrutura 3D.

Veja Tambem A antigravidade existe mesmo?




Os cientistas fizeram o seu gerador de vapor solar depositando um composto de nano carbono absorvente de luz numa membrana de celulose que foi padronizada com a dobra de Miura. Verificaram que seu dispositivo 3D tinha uma taxa de evaporação 50% maior do que um dispositivo 2D plano. Além disso, a eficiência da estrutura 3D aproximou-se de 100%, em comparação com 71% para o material 2D. Os cientistas dizem que, em comparação com uma superfície plana, os baixos de origami capturam melhor a luz solar perdendo-se menos por reflexão. Além disso, o calor pode fluir dos baixos para os altos. mais frios, evaporando a água ao longo do caminho, em vez de se perder no ar.



Fonte// Sciencedaily

Sem comentários:

Publicar um comentário