sábado, 20 de outubro de 2018

Desenvolvidos adesivos que podem salvar vidas e controlar estado desaúde

A cirurgia cardíaca normalmente é traumática para os pacientes. A monitorização contínua do estado de saúde pós cirurgia sem acompanhamento médico é ainda mais assustador. Imagine ser poder fazer isso com um simples adesivo aplicado ao seu corpo.


Um grupo de investigadores da Universidade de Purdue  avançaram  com uma solução que poderá tornar isso possível. A pesquisa foi publicada recentemente no ACS Advanced Materials and Interfaces.

"Pela primeira vez, criamos dispositivos electrónicos adesivos que pode-se facilmente colar à pele e são feitos de papel ", disse Ramses Martinez, professor assistente de engenharia industrial e engenharia biomédica da Purdue. que liderou a equipe de pesquisa.

Veja Tambem Adoçantes e suplementos desportivos prejudiciais á saúde e ao meio ambiente


Os "adesivos inteligentes" são feitos de celulose, que é  compatível com a pele e é porosa, deixando-a respirar. Eles podem ser usados ​​para monitorizar a atividade física e alertar o paciente sobre possíveis riscos à saúde em tempo real.

Os profissionais de saúde poderiam usar os adesivos Purdue como sensores implantáveis ​​para monitorizar o sono dos pacientes, porque eles ligam-se aos órgãos internos sem causar reações adversas. Os atletas também podem usar esta tecnologia para controlar a sua saúde durante o exercício.

Esses adesivos têm forma de serpentina para tornar os dispositivos tão finos e elásticos quanto a pele, tornando-os imperceptíveis para o utilizador.

Como o papel se degrada rapidamente quando molhado e a pele humana está propensa a ser coberta de suor, esses adesivos foram revestidos com moléculas que repelem água, óleo, poeira e bactérias. Cada adesivo pode ser feito usando tecnologias de impressão e fabrico similares àquelas usadas para imprimir livros em alta velocidade.


Veja Tambem Fumar ou ficar obeso, qual o pior?


"O baixo custo desses dispositivos portáteis e sua compatibilidade com técnicas de fabrico em larga escala permitirão a rápida adoção desses novos sensores descartáveis ​​e portáteis numa enorme variedade de aplicações nos cuidados de saúde que exigem sistemas de diagnóstico de uso único", disse Martinez.

A tecnologia é patenteada através do Escritório de Comercialização de Tecnologia da Purdue, e procuram parceiros para testar e comercializar sua tecnologia.


Fonte//ScienceDaily

Sem comentários:

Publicar um comentário