segunda-feira, 8 de outubro de 2018

32 anos depois Chernobyl volta a produzir energia

Chernobyl está produzindo energia novamente, embora não do tipo nuclear. A Ucrânia está a aproveitar os terrenos inabitáveis de Chernobyl para instalar painéis solares e produzir energia solar.


Segundo a agência AFP, as autoridades ucranianas anunciaram a instalação de uma central foto voltaica para produção energia elétrica usando a energia solar com a potência de um megawatt, e localizada a apenas 100 metros da central nuclear de Chernobyl.

Os cerca de 3800 painéis solares da nova estação de Chernobyl ocupam 1,6 hectares e produzem energia suficiente para abastecer cerca de 2000 residências.

Veja Tambem A energia resultante da fusão está perto


A nova instalação energética está localizada na Zona de Exclusão de Chernobyl, a zona oficial interdita a volta do local do desastre nuclear.

Hoje estamos a ligar a estação á rede eletrica da Ucrânia”, disse na passada sexta-feira, Yevgen Varyagin, chefe da Solar Chernobyl, a empresa ucraniana e alemã que está por detrás do projeto.

Segundo a Voice of America, as autoridades ucranianas ofereceram aos investidores cerca de 2500 hectares de terreno para a construção de painéis solares. Para além do baixo preço da terra, o local mostra-se bastante atraente para empresas do setor da energia, pois oferece ligação direta à rede elétrica do país.

A 26 de abril de 1986, o reator número quatro da central nuclear de Chernobyl explodiu  e contaminou toda a área. Segundo algumas estimativas, a precipitação chegou a contaminar três quartos da Europa, especialmente a Ucrânia, Rússia e Bielorrússia.


Ainda hoje, os efeitos do acidente de Chernobyl se fazem sentir, principalmente na Europa Central.

Após o desastre, as autoridades soviéticas retiraram centenas de milhares de pessoas e o vasto território ficou abandonado. Agora, 32 anos depois da catástrofe, a Ucrânia volta a usar os terrenos de Chernobyl para criar energia.

De acordo com as autoridades ucranianas, a zona atingida pela radiação não poderá ser habitada nos próximos 24 mil anos.



Fonte//Gizmodo

Sem comentários:

Publicar um comentário