sábado, 22 de setembro de 2018

Pela segunda vez na história, uma nave espacial terrestre aterra num asteróide

A sonda japonesa Hayabusa 2 , lançada em Dezembro de 2014, chegou á órbita do asteroide 162173 Ryugu em junho passado. Sexta-feira 21 Setembro,, o primeiro de dois pequenos "rovers" - MINERVA-II 1A saiu Hayabusa 2 para pousar no asteróide. O MINERVA-II 1B fará o mesmo  no início do próximo ano.




Quando estava prestes a pousar no asteróide, a rotação deste  deixou os cientistas da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA), sem comunicação no o rover Só no sábado de manhã poderão descobrir o que aconteceu.

Se a aterragem foi bem sucedidas, o "rover" explorará a superfície de Ryugu com uma variedade de equipamentos científicos, incluindo sensores óticos e de temperatura e sete câmaras diferentes, observou a Space.com.

Apesar de seu nome, os veículos exploradores MINERVA [Micro Nano Experimental Robot Vehicle for Asteroid], que  pesam apenas um quilograma e medem sete polegadas de largura por 2,8 polegadas de altura, não rodam pela superfície do asteróide, eles saltitam


Veja Tambem Novo programa ‘Star Wars’ SpaceX está a estudar implantar armas em orbita dos EUA


"A gravidade na superfície do Ryugu é muito fraca, então um rover com rodas ou lagartas normais flutuaria assim que começasse a se mover", de acordo com a página de missão da JAXA. "Portanto, esse mecanismo de salto foi adotado para se deslocarem na superfície de pequenos corpos celestes. Espera-se que o rover permaneça no ar por até 15 minutos após um único salto antes de voltar ao solo, e se mova até 15 m horizontalmente. "



Além disso, os computadores dos rovers decidirão a trajetória, o que significa que não terão que esperar os atrasos na comunicação interestelar.

A nave mãe  também aterrará em  Ryugu, em 2019 para recolher amostras de material abaixo da superfície. Espera-se que a cápsula contendo a amostra retorne à Terra para análise no final de 2020.

A missão da Hayabusa 2 custa US $ 150 milhões e foi realizada com o Centro Aeroespacial Alemão e a agência espacial francesa CNES.

Veja Tambem Por que gira a Terra?


Estima-se que o asteróide tenha até US $ 80 biliões em níquel e ferro,  podendo ser o lançamento da mineração espacial é a próxima grande novidade.

Mas também há uma ameaça significativa de que o Ryugu de um quilómetro de diâmetro possa atingir a Terra um dia, de acordo com a NASA. Além disso, a poeira recolhida da sua superfície é antiga, remonta aos primeiros tempos do sistema solar. Isso é inestimável para os astrónomos e astrofísicos que querem aprender mais sobre a formação do nosso sistema há 4,6 biliões de anos.



Fonte//SputnikNews

Sem comentários:

Publicar um comentário