segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Fundador do WikiLeaks revela ameaça á humanidade

Antes de lhe terem cortado quase todos os meios de comunicação com o mundo exterior em Março, o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, que permanece na Embaixada do Equador em Londres, compartilhou sua visão sobre as ameaças que a humanidade enfrenta em relação ao desenvolvimento de IA e proteção de dados.

Photo Reuters


Um dos mais famosos denunciantes dos “podres” do mundo atual, Julian Assange, procurado pelos EUA por divulgar documentos confidenciais através de seu site WikiLeaks ,na guerra do Iraque durante quase uma década, previu um cenário sombrio e muito instável em relação à civilização tecnológica, alegando que o mesmo não se prolongará por muito tempo por causa da competição muito rápida no mundo da informação.

“Pode-se produzir inteligências artificiais muito robustas e que podem ser usadas pelos vários países. Isso pode ver-se nos Estados Unidos e na China. Essas duas forças vão conquistar todo o mercado. A rápida concorrência entre eles com o apoio dos países associados a exacerbação da competição comercial através da competição geopolítica levará a um desejo incontrolável de crescimento da capacidade de inteligência artificial, podendo causar a um  grave conflito. Sendo essa é a nossa maior ameaça ”, disse ele no vídeo, gravado antes de quase ficar incomunicável, e divulgado pelos organizadores do World Ethical Data Forum em Barcelona.

Veja Tambem Ártico encerra perigo que ameaça todo o planeta




De acordo com o fundador do WikiLeaks, "a competição geopolítica das maiores empresas de inteligência artificial" está preparada para "acelerar um processo que os seres humanos perderão o controlo". “As instituições só progridem devido á concorrência, e vão crescendo em tamanho e dominando o mercado, competindo com as rivais, e aproveitam qualquer vantagem para de distanciar nessa concorrência.





Tudo o que eles produzem tem esse DNA. É para onde caminhamos, e essa é a grave ameaça para os seres humanos em geral e todos seus os negócios. Talvez a resposta para essa ameaça seja que ensinar as pessoas muito sobre a segurança no uso do computador e internet.

A capacidade emergente de grandes entidades e empresas privadas de fazer recolha de dados em massa sobre pessoas, em combinação com a aplicação da Inteligência Artificial (IA), desempenhou um papel significativo. Com o Google, Baidu, Tencent, Amazon e Facebook “basicamente recolhendo informação sobre as pessoas, quando trocamos qualquer tipo de comunicação”, esse modelo clássico, chamado “capitalismo de vigilância”, mudou .



“É uma mudança econômica realmente muito importante e severa. Que é tomar o modelo do capitalismo de vigilância e transformá-lo em um modelo que ainda não tem nome, um "modelo de IA(inteligência artificial)", ou seja usar esta vasta fonte de informaçao para treinar Inteligências Artificiais de diferentes tipos. Isso substituiria não apenas os setores intermediários, a maioria das coisas que fazemos na internet é, de certo modo, uma intermediação mais eficiente”, afirmou.


Veja Tambem Mudanças climáticas fazem aumentar número de mortes


É preciso muito cuidado contra a crescente vulnerabilidade dos dados pessoais, que são cada vez mais alvo e roubados por criminosos

“Esta geração que está nascendo agora… é a última geração livre”.  A partir daí um ser humano nasce e, imediatamente ou dentro de um ano, é conhecido mundialmente. A sua identidade de uma forma ou de outra, fica conhecida como resultado de seus pais colocando seu nome e fotos em todo o Facebook ou como resultado de aplicações de seguro ou solicitações de documentos de identificação, passa a ser conhecida por todas as principais potências mundiais. Essa é uma situação muito diferente da que antes costumava ser ”, afirmou ele no vídeo.

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, reside  na Embaixada do Reino Unido no Equador desde 2012, temendo que o Reino Unido possa extraditá-lo para os EUA, onde ele poderá ser acusado pela publicação do WikiLeaks de documentos militares e diplomáticos postados. Recentemente, o presidente equatoriano, Lenin Moreno, abordou a hipótese de expulsar Assange da embaixada, mas observou que o Reino Unido deve primeiro garantir a segurança do ativista. As suas declarações fizeram a comunicação social acreditar de que o Equador poderia revogar o asilo de Assange e que ela poderia sair voluntariamente devido ao agravamento do seu estado de saúde.



Fonte// SputnikNews

Sem comentários:

Publicar um comentário